Conquistas

2016

Para 2016

  1. Reajuste de 8% nos salários, pisos e PLR.
  2. Abono de R$ 3.500 para todos os bancários e bancárias.
  3. 15% de reajuste no vale-alimentação.
  4. 10% de reajuste no vale-refeição e no auxílio-creche/babá.
  5. Ampliação da licença paternidade para 20 dias.
  6. Abono integral dos dias parados.
  7. PLR regra básica – 90% do salário mais R$ 2.183,53 limitado a R$ 11.713,59. Se o total ficar abaixo de 5% do lucro líquido, salta para 2,2 salários, com teto de R$ 25.769,88.
  8. PLR parcela adicional – 2,2% do lucro líquido dividido linearmente para todos, limitado a R$ 4.367,07.
  9. Antecipação da PLR – Primeira parcela depositada até dez dias após assinatura da Convenção Coletiva.
  10. Regra básica – 54% do salário reajustado em setembro de 2016, mais fixo de R$ 1.310,12, limitado a R$ 7.028,15 e ao teto de 12,8% do lucro líquido – o que ocorrer primeiro. Parcela adicional equivalente a 2,2% do lucro líquido do primeiro semestre de 2016, limitado a R$ 2.183,53.

Para 2017

  1. Reposição da inflação medida pelo INPC mais 1% de aumento real nos salários, pisos e todas as verbas salariais.
  2. Para PLR e antecipação da PLR – mesmas regras, com reajustes dos valores fixos e limites pelo INPC/IBGE de setembro/2016 a agosto/2017, acrescido de aumento real de 1%, com data de pagamento final até 01/03/2018.

2015

  1. 10% de reajuste nos salários, pisos e PLR.
  2. 14% de reajuste nos vales alimentação e refeição.
  3. Pisos – Portaria após 90 dias: R$ 1.377,62. Escriturário após 90 dias: R$ 1.976,10. Caixa após 90 dias: R$ 2.669,45 (que inclui R$ 470,75 de gratificação de caixa e R$ 222,60 de outras verbas de caixa).
  4. PLR Regra Básica: 90% do salário mais valor fixo de R$ 2.021,79, limitado a R$ 10.845,92. Se o total apurado ficar abaixo de 5% do lucro líquido, será utilizado multiplicador até atingir esse percentual ou 2,2 salários (o que ocorrer primeiro), limitado a R$ 23.861,00.
  5. Antecipação da PLR: Até 10 dias após assinatura da Convenção Coletiva: na regra básica, 54% do salário mais fixo de R$ 1.213,07 limitado a R$ 6.507,55. Da parcela adicional, 2,2 % do lucro líquido do primeiro semestre, limitado a R$ 2.021,79. O pagamento do restante será feito até 1º de março de 2016.
  6. PLR: Parcela Adicional: 2,2% do lucro líquido distribuídos linearmente, limitado a R$ 4.043,58.

2014

  1. Reajuste salarial de 8,5% e de 9% no piso salarial.
  2. Reajuste de 12,2% no auxílio-refeição.
  3. Combate às metas abusivas. A cobrança de metas passou a ser proibida não somente por SMS, mas também por qualquer outro tipo de aparelho ou plataforma digital.
  4. Certificação CPA 10 e CPA 20 – Quando exigido pelos bancos, os trabalhadores terão reembolso do custo da prova em caso de aprovação.
  5. Adiantamento de 13º salário para os afastados – Quando o bancário estiver recebendo complementação salarial, terá também direito ao adiantamento do 13º salário, a exemplo dos demais empregados.
  6. Casais homoafetivos – Divulgação da cláusula de extensão dos direitos aos casais homoafetivos, informando que a opção deve ser feita diretamente com a área de RH de cada banco, e não mais com o gestor imediato, para evitar constrangimentos e discriminações.
  7. Campanha sobre assédio sexual – Os bancos assumiram o compromisso de realizar uma campanha junto com os bancários para combater o assédio sexual no trabalho.

2013

  1. Reajuste: 8,0% (1,82% de aumento real).
  2. Pisos: Reajuste de 8,5% (ganho real de 2,29%).
  3. PLR regra básica: 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.694,00 (reajuste de 10%), limitado a R$ 9.087,49. Se o total apurado ficar abaixo de 5% do lucro líquido, será utilizado multiplicador até atingir esse percentual ou 2,2 salários (o que ocorrer primeiro), limitado a R$ 19.825,86.
  4. PLR parcela adicional: aumento de 2% para 2,2% do lucro líquido distribuídos linearmente, limitado a R$ 3.388,00 (10% de reajuste).
  5. Auxílio-refeição: de R$ 21,46 para R$ 23,18 por dia.
  6. Cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.
  7. 13ª cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.
  8. Auxílio-creche/babá: de R$ 306,21 para R$ 330,71 (para filhos até 71 meses). E de R$ 261,95 para R$ 282,91(para filhos até 83 meses).
  9. Gestores ficam proibidos de enviar torpedos aos celulares particulares dos bancários cobrando cumprimento de resultados.
  10. Abono-assiduidade (novidade): 1 dia de folga remunerada por ano.
  11. Vale-cultura (novidade): R$ 50,00 mensais para quem ganha até 5 salários mínimos, conforme Lei 12.761/2012.

2010

A campanha salarial de 2010 conquista o reajuste de até 16,33% nos pisos salariais e incremento da PLR. Também conquista, pela primeira vez, a inclusão na Convenção Coletiva de mecanismos para combater o Assédio Moral no trabalho contra o desrespeito e as metas abusivas. PLR Social na CAIXA com 4% do lucro distribuído lineamente entre os empregados.

2004

A retomada das grandes mobilizações garante a conquista de aumento real em todas as campanhas salariais a partir deste ano.

2003

Primeira Campanha Salarial Unificada da categoria bancária.

2000

Categoria conquista da igualdade de oportunidades na Convenção Coletiva.

1999

A categoria luta contra a privatização dos bancos. A mobilização dos bancários contra a política neoliberal do governo FHC impediu a privatização do Banco do Brasil e da CAIXA.

1997

Categoria conquista o complemento salarial para bancários afastados.

1995

A categoria conquista a participação nos lucros e Resultados (PLR). Uma antiga reivindicação.

1989

A campanha salarial conquista o direito de intervalo de descanso para digitadores.

1988

A categoria conquista o auxílio para bancários com filhos excepcionais ou portadores de deficiência.

1987

O Sindicato dos Bancários de BH e Região filia-se a CUT.

1986

Bancários da CAIXA conquistam o direito à sindicalização.

1985

Os funcionários da Caixa Econômica Federal conquistam, depois de mais de 20 anos comparado aos demais bancos, a jornada de seis horas. Também acontece neste ano a primeira grande greve com abrangência nacional da categoria bancária. Ano de criação do Departamento Nacional dos Bancários,DNB.

1983

Nasce a Central Única dos Trabalhadores, CUT, a mais importante central sindical do país. O Sindicato conquista reajuste salarial de seis em seis meses; seguro para casos de assaltos com morte ou invalidez; auxílio creche; e estabilidade para as gestantes até 60 dias após o término da licença. Ganhos expressivos. Um ano de vitórias, também no cenário nacional.

1982

Conquista do auxílio-transporte e auxílio-alimentação.

1964 a 1975

Resistência à repressão, tortura e morte no período da ditadura militar. Entre 1971 e 1975 – Intervenção no Sindicato.

1962

A categoria conquista o 13º salário e o piso salarial mínimo.

1934

Ocorre a primeira greve geral da categoria. É criado o Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Bancários e a categoria conquista estabilidade a partir de dois anos de trabalho

1933

Os bancários conquistam o direito à jornada de seis horas de trabalho.

1932

No dia 27 de outubro é criado o Sindicato dos Bancários de BH e Região.