A Fenae e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), assessorada pela Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), cobraram que a CAIXA esclareça a suspensão/cancelamento dos Processos de Seleção Interna por Competência (PSICs), ocorrida no início desta semana. A solicitação foi feita em ofício enviado nesta quarta-feira, 20, à diretoria de Gestão de Pessoas, Márcia Guedes, e ao superintendente nacional de Serviços Compartilhados de Gestão de Pessoas, Sebastião Andrade.

No documento, a Federação e a Contraf também destacam que é urgente que a direção se pronuncie em relação aos boatos que circulam sobre um “pacote de maldades”, que seria divulgado até a próxima semana. Segundo informações que circulam nos corredores e que chegaram às entidades representativas dos trabalhadores, as medidas incluem a redução de vagas em áreas da matriz, a reestruturação de setores e até o fechamento de agências.

Os representantes dos trabalhadores relatam que o clima é de apreensão e insegurança nas unidades de trabalho do banco em todo o Brasil. Isto se deve à falta de diálogo da direção do banco com empregadas e empregados. Por isso, as entidades representativas dos bancários têm cobrado, continuamente, uma gestão mais transparente, que respeite e valorize os esforços diários de homens e mulheres que trabalham na CAIXA a serviço da população brasileira.

Respeito às negociações e aos acordos

No momento em que a CAIXA chega aos 155 anos, entidades do movimento sindical e associativo têm exigido o cumprimento de compromissos assumidos nas negociações. Na segunda-feira, 18, por exemplo, a Contraf-CUT cobrou a implementação de duas conquistas em relação ao plano de saúde.

Outra frente de luta diz respeito ao quadro de pessoal. Apesar da demanda crescente nas agências e dos mais de 30 mil aprovados em concurso, o banco se recusa a retomar a contratação de empregados.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Fenae

Compartilhe: