Trabalhadores de diversas categorias e movimentos sociais realizaram, nesta terça-feira, 3, no Rio de Janeiro, um ato em defesa da soberania nacional. A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, participou da manifestação, que teve início em frente à sede da Eletrobrás, por volta das 11h, e se deslocou durante a tarde pela região central da cidade.

Trabalhadoras e trabalhadores pararam também em frente às sedes de empresas públicas como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Petrobras, cujo decreto de criação, editado por Getúlio Vargas, completou 64 anos nesta terça-feira.

Para Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), o governo Temer pretende que o país recue à condição de exportador de produtos primários e de dependência do mercado externo. “Estamos aqui para defender a soberania nacional, defender nossas empresas e impedir que esses golpistas e entreguistas vendam nossas terras, nossas riquezas, nossa água, a nossa Amazônia”, disse.

Durante o ato, os trabalhadores destacaram que foi a presença do Estado, com a participação dos bancos públicos e de empresas estatais, que garantiu a superação da crise internacional que eclodiu em 2007.

Defesa da CAIXA

Antes do ato em defesa da soberania, a Fenae, com o apoio da Contraf-CUT e das Associações de Pessoal da CAIXA (Apcefs) lançou a campanha “Defenda a Caixa Você Também”, em frente ao prédio Almirante Barroso, que abriga a maior agência bancária da América Latina.

A campanha pretende conscientizar a população e mostrar a importância da CAIXA para a vida dos trabalhadores e brasileiros em geral.

O presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, ressaltou que a CAIXA é o banco que mais investe em projetos de construção de moradias populares, concede incentivo ao esporte, dá apoio à cultura, financia a educação e as micro e pequenas empresas, faz a gestão do FGTS, atuando como uma empresa pública fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país. “Tudo isso está em risco com as medidas tomadas pelo governo, que quer abrir o capital do banco. Com a campanha ‘Defensa a Caixa você também’, vamos envolver toda a sociedade na defesa do banco e de sua atuação”, disse.

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, ressaltou que trabalhadores de várias categorias e de todo o Brasil estão unidos para defender a soberania nacional. “Estamos em luta para defender nossas riquezas, nossas terras e nosso patrimônio contra os ataques do governo Temer, que visam atender apenas aos interesses de grandes empresários. Defendemos em especial a CAIXA, que sempre se viu ameaçada pela ganância dos bancos privados, mas que é reconhecida pelos brasileiros como um importante patrimônio, fundamental para a execução de políticas sociais e para o desenvolvimento do país”, afirmou.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: