Mesmo tendo registrado lucro de R$ 1,225 bilhão em 2012, um aumento de 9,6% em relação ao ano anterior, o HSBC segue desrespeitando seus funcionários e pagando uma Participação nos Lucros e Resultados (PLR) menor do que poderia se não superdimensionasse seus Provisionamentos para Devedores Duvidosos (PDD).

A cada ano, aumenta a indignação dos bancários com o descaso do banco para com seus funcionários. Um dos principais problemas é o valor da PLR paga de forma reduzida por causa dos altos PDD que mascaram os verdadeiros resultados e diminuem a parcela repassada aos bancários. Os PDD não têm qualquer relação com a carteira de créditos em atraso (CA), que deveria ser a referência para formação destas reservas.

Para o funcionário do HSBC e diretor do Sindicato, Giovanni Alexandrino, a atitude do banco é vergonhosa. “O HSBC se utiliza destes artifícios para mascarar os altos lucros, o que é um desrespeito aos bancários, que indignados veem os seus enormes esforços para atingir suas metas irem pelo ralo. Temos que nos mobilizar para combater essa  política de desrespeito e desvalorização dos funcionários promovida pelo banco”, afirmou.

Já o funcionário do HSBC e diretor do Sindicato, Geraldo Rodrigues, lembrou que, com essa atitude desrespeitosa, o HSBC visa punir injustamente seus funcionários. “Está claro que com essa postura absurda o banco quer culpar os bancários pelo prejuízo de R$ 2 bilhões provocado por denúncias de suposta lavagem de dinheiro nos Estados Unidos e no México e pela venda irresponsável de produtos na Inglaterra”, ressaltou.

Compartilhe: