Apesar do lucro bilionário em 2012, o Bradesco fechou 1.299 postos de trabalho no ano, segundo o balanço da instituição financeira anunciado nesta segunda-feira, 28. O Bradesco é o primeiro banco a divulgar os resultados de 2012. O Bradesco obteve lucro líquido ajustado de R$ 11,523 bilhões no ano passado, o que significa um crescimento de 2,9% com relação ao ano anterior, mesmo com a redução de juros e com o aumento de 15,31% (ou R$ 1,85 bilhão) das Provisões para Devedores Duvidosos (PDD) para uma inadimplência superior em apenas 0,2 pontos percentuais (de 3,9% para 4,1%) no período. Clique aqui para ver os principais números da análise do Dieese. O montante provisionado pelo Bradesco para os atrasos superiores a 90 dias (R$ 13,9 bilhões) é maior que o lucro líquido ajustado anunciado. Já o Índice de Inadimplência superior a 90 manteve a marca de 4,1% do trimestre anterior. Com relação a dezembro de 2011, a inadimplência cresceu apenas 0,2 pontos percentuais. As despesas de pessoal cresceram 5,4% no ano passado, abaixo dos 7,5% do reajuste dos salários e dos 8,5% do reajuste do piso da categoria bancária na campanha nacional de 2012, o que aponta para a prática da rotatividade para reduzir a massa salarial paga pelo banco a seus funcionários. Para o funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Welington Cruz Marinho, as demissões evidenciam o descaso do banco para com os funcionários. “Mais uma vez, os números demonstram que, para alcançar seus objetivos, o banco abre mão da manutenção do emprego, demitindo os principais responsáveis pelos lucros bilionários e assediando aqueles que permanecem com cobranças de metas abusivas”, afirmou.   Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT
Compartilhe: