Após cobranças dos trabalhadores e a realização de uma reunião com o Bradesco, no dia 18 de maio, em São Paulo, o banco se comprometeu a rever as demissões de bancários que tiveram aposentadoria por invalidez cessada e foram dispensados no dia em que deveriam voltar ao trabalho.

As dispensas ocorreram sem a realização de exame de retorno. Sendo assim, na reunião, representantes do banco também afirmaram que a orientação do RH é que este exame seja realizado.

Nos casos em que os bancários tiverem condições de retornar ao trabalho, os representantes dos funcionários já cobraram a aplicação do programa de retorno ao trabalho. O objetivo é que estes trabalhadores possam retomar suas funções em condições dignas, respeitando suas capacidades laborais, até que possam se aposentar por tempo de serviço.

O Sindicato alerta que qualquer irregularidade deve ser imediatamente denunciada à entidade para que se possa tomar providências.

Mais de 400 mil benefícios cancelados

Desde que tomou o poder, o governo Temer cancelou mais de 400 mil benefícios sociais por invalidez de trabalhadores que sofreram acidentes ou desenvolveram doenças por causa do trabalho.

Muitos bancários do Bradesco que passaram por essa situação ainda foram demitidos no dia em que deveriam retornar ao trabalho e sem fazer o exame de retorno, o que viola a Norma Regulamentadora nº 7, editada pelo Ministério do Trabalho.

Por isso, as entidades que representam a categoria se mobilizaram para denunciar as irregularidades e cobrar o banco em relação às demissões.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Seeb-SP

 

Compartilhe: