Foto: Jailton Garcia

Nova rodada de negociação com o Banco do Brasil sobre a pauta de reivindicações dos funcionários foi realizada nesta sexta-feira, 18, em São Paulo. Na mesa, foram debatidos os temas referentes à remuneração, alteração no plano de carreira e as questões envolvendo ascensão dos funcionários.

Plano de Carreira e Remuneração (PCR)

No debate sobre Plano de Carreira e Remuneração (PCR), os funcionários cobraram melhoria nas tabelas de antiguidade e mérito e melhoria no piso do escriturário. Foi também realizado debate específico sobre a inclusão dos escriturários na carreira de mérito, como forma de valorização de todos os funcionários da empresa.

Substituição de comissionados

Os representantes dos funcionários cobraram avanços na substituição dos comissionados, apontando a necessidade de volta da substituição como uma forma de melhorar a formação profissional e evitar os desvios de função. Além disso, os processos de nomeação se tornariam mais transparentes e efetivos, uma vez contemplados no histórico funcional os dias da efetiva substituição em outro cargo.

Nomeação e pagamento da gratificação de caixa

Os bancários reivindicaram a nomeação dos caixas executivos que vêm exercendo a função de forma consecutiva em várias agências e plataformas do PSO. Esta é uma cobrança constante dos caixas substitutos, que sempre exercem a função mas não são nomeados, o que causa prejuízo ao funcionário no recebimento das férias, do 13º e de adiantamentos.

Outra reivindicação é a de que todo funcionário que abrir terminal de caixa receba a gratificação de caixa na folha de pagamento. Atualmente, vários gerentes de serviços do PSO e de agências, além de outros funcionários, têm ajudado nos serviços de caixas, assumindo risco de diferenças sem receber nada a mais por isso.

Os representantes dos funcionários cobraram ainda o pagamento do auxílio refeição para o trabalho extraordinário aos finais de semana e feriados, na forma de adiantamento ou ressarcimento posterior no ticket refeição.

Processos seletivos e concorrência

Foi cobrada do BB a melhoria nos processos seletivos internos, dando mais transparência às nomeações. Foi solicitada a participação das Gepes em processos seletivos em unidades maiores e também que toda vaga aberta tenha prazo definido para inscrição e data de escolha, evitando os pedidos de retirada das concorrências e nomeações de funcionários que não estavam inscritos anteriormente.

Os funcionários apontaram ao banco que a transparência nos processos de seleção é uma reivindicação prioritária, uma vez que a credibilidade destas seleções fica em risco sem a devida transparência.

Outra cobrança foi em relação ao registro da seleção em que o funcionário esteja participando e também a obrigatoriedade de feedbacks em todos os processos seletivos.

Novamente, os funcionários cobraram do banco o funcionamento do Sistema de Remoção Automática (SACR) em todos os locais. Devido às praças com locais excedentes e às reestruturações em andamento, os sistemas não têm atendido seu objetivo, provocando descumprimento do acordo coletivo.

Melhoria no plano de função

Os funcionários cobraram do BB melhoria do plano de funções e a negociação com as entidades sobre alterações na estrutura dos cargos. Outra questão cobrada é que não seja feita nenhuma alteração sobre a jornada de trabalho sem negociação com os funcionários.

Foi reiterado o pedido de uma negociação sobre assistentes dos segmentos Estilo e Private e a criação do cargo de pregoeiro, além de uma negociação sobre os funcionários de cargos de nível superior, cuja carreira está ameaçada por uma ação do Ministério Público contra o banco.

Os bancários também reivindicam a análise e resposta sobre os diversos artigos da minuta que contemplam melhorias nos cargos e funções de várias unidades e setores específicos, como CABB e SAC.

Mais contratações

Os representantes dos funcionários reforçaram a reivindicação de mais contratações e a reposição dos funcionários que saíram através do Plano de Aposentadoria Incentivada (PAI). A falta de reposição e a consequente falta de funcionários tem agravado as condições de trabalho em todas as unidades.

Organização dos trabalhadores

Os representantes dos funcionários apresentaram ao BB denúncias de retaliação e ameaças a funcionários feitos especialmente por superintendentes regionais e estaduais quanto a ações judiciais e greve. O banco respondeu que esta não é a política ou orientação da empresa e que vai acolher e apurar as denúncias.

Para Wagner Nascimento, diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários, os funcionários têm como prioridade a melhoria nas condições de trabalho. “A ampliação das substituições é fundamental para a formação do funcionário e o banco sabe disso. Precisamos também garantir transparência nos processos seletivos, pois os funcionários não têm dado credibilidade a estas seleções. Só garantiremos avanços em nosso acordo através da mobilização e, por isso, é fundamental a participação de todas e todos nas atividades dos sindicatos”, afirmou.

Os bancários cobraram que o BB apresente uma resposta às reivindicações específicas no dia 25, após a reunião do Comando Nacional com a Fenaban.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: