O Santander é alvo de protestos, em todo o Brasil, nesta quarta-feira, 31, contra a imposição de medidas que prejudicam funcionários, assim como o atendimento à população. Em Belo Horizonte, bancárias e bancários paralisaram suas atividades em diversas agências e o Sindicato foi às ruas para denunciar o desrespeito do banco.

Amparado pela reforma trabalhista do golpista Temer, o Santander vem promovendo alterações em direitos dos funcionários sem qualquer negociação com os trabalhadores ou as entidades sindicais.

No dia 20 de dezembro, a categoria já havia realizado manifestações e enviado um ofício ao banco para cobrar negociações. O Santander, porém, sequer respondeu à justa demanda dos representantes dos funcionários.

Mudanças impostas aos trabalhadores

O banco implantou um sistema para forçar a assinatura de um Acordo Individual de Banco de Horas Semestral. A medida é inconstitucional e mostra o total desrespeito do Santander para com seus funcionários. Em reunião sobre o assunto, realizada com os representantes dos bancários no dia 13 de dezembro do ano passado, o banco se limitou a dizer que não iria negociar.

Também sem nenhuma negociação, o banco informou a alteração do dia de pagamento dos salários, do dia 20 para o dia 30, e os meses de pagamento do 13º salário, antes março e novembro, agora passam a ser maio e dezembro.

Os funcionários também sofrem com os aumentos abusivos do plano de saúde, que têm causado dificuldades para muitos bancarem os custos, além do grande número de demissões, que gera mais sobrecarga de trabalho e prejudica o atendimento à população.

Além de tudo isso, o Santander também já informou que irá aplicar o fracionamento de férias previsto na reforma trabalhista.

“O Santander vem mostrando que não respeita a categoria ao impor medidas que prejudicam os funcionários, além de se negar a negociar com a categoria. A reforma trabalhista veio unicamente para aumentar os lucros dos empresários e retirar direitos dos trabalhadores. Como está claro, o Santander pretende implantar todas as mudanças possibilitadas pela nova lei e, por isso, temos que estar mobilizados para manter a pressão e impedir a retirada de direitos”, afirmou o funcionário do Santander e diretor do Sindicato, Wagner dos Santos.

 

Confira mais fotos da paralisação desta quarta-feira:

 

Compartilhe: