Bancárias e bancários do Santander realizam, nesta quarta-feira, 20 de dezembro, em todo o Brasil, um dia de protesto contra o desrespeito e as práticas antissindicais do Santander. Em Belo Horizonte, foram paralisadas as atividades de agências do banco e o Sindicato também distribuiu materiais informativos para conscientizar a categoria e a população sobre os ataques do banco aos direitos dos trabalhadores.

Com a entrada em vigor da nova lei trabalhista, o Santander já começou a impor a retirada de direitos dos funcionários e mudanças importantes sem que haja qualquer negociação com os trabalhadores. Neste mês de dezembro, o banco implantou um sistema para forçar os bancários a assinarem um “Acordo Individual de Banco de Horas Semestral”. Além de ser inconstitucional, a medida mostra o total desrespeito do Santander para com os trabalhadores e seus representantes sindicais.

Além disso, o banco também informou que alteraria o dia de pagamento dos salários, do dia 20 para o dia 30, e os meses de pagamento do 13º salário, antes março e novembro, e agora passando a ser maio e dezembro. Como se não bastasse tudo isso, o Santander também já informou que vai aplicar parcelamento de férias.

Diante das arbitrariedades, os trabalhadores questionaram o Santander e cobraram imediata suspensão das medidas, além de exigir a realização de uma mesa de negociação. A reunião foi realizada no dia 13 de dezembro e deixou ainda mais claro o desrespeito do banco. Em mesa, os representantes do Santander apenas informaram que as mudanças seriam implantadas e que não negociariam as medidas.

Funcionárias e funcionários também sofrem com as pressões nas unidades de trabalho, a sobrecarga de trabalho, os aumentos abusivos do plano de saúde e o grande número de demissões, muitas vezes de trabalhadores em pleno tratamento de saúde.

“É absurdo o que o Santander vem promovendo no Brasil, se aproveitando da nefasta reforma trabalhista do governo Temer para impor mudanças aos funcionários e tratar as entidades representativas da categoria com total descaso. A mobilização é fundamental para impedir que destruam nossos direitos conquistados em muitos anos de luta”, afirmou Davidson Siqueira, que é funcionário do Santander e diretor do Sindicato.

Compartilhe: