A 21ª Conferência Estadual dos Bancários de Minas Gerais se encerrou, neste domingo, 30 de junho, com a aprovação de propostas da categoria e um debate sobre a organização dos trabalhadores. A presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, falou aos participantes sobre estratégias de luta diante da atual conjuntura de ameaças aos direitos e conquistas.

Juvandia destacou que é fundamental defender a organização sindical e política. “Temos sempre que relembrar a história das nossas conquistas, pois nenhum direito foi assegurado por bondade dos bancos. Tudo que temos hoje é fruto de muita luta dos trabalhadores”, afirmou.

A presidenta da Contraf-CUT ressaltou também que o discurso neoliberal incentiva o individualismo e a meritocracia, sendo preciso reforçar a importância da luta coletiva. “O exemplo mais importante da categoria bancária é o da unidade, que foi construída com a compreensão de que sozinhos não conseguiríamos nada. Foi assim que garantimos nossos acordos nacionais. Foi a nossa organização que construiu o que temos hoje”, explicou Juvandia.

Durante a Conferência Estadual, trabalhadoras e trabalhadores debateram sobre a conjuntura atual, a reforma da Previdência, a defesa dos bancos públicos e temas ligados ao mundo do trabalho. O temário do evento contou com questões como o fortalecimento da luta, a defesa de direitos, da soberania nacional e da democracia.

Bancárias e bancários aprovaram propostas que serão levadas à Conferência Nacional, que será realizada entre os dias 2 e 4 de agosto em São Paulo. Foram também eleitos os delegados e delegadas que representarão o estado no evento nacional e os representantes das comissões temáticas e comissões de empresa.

Foto: Alessandro Carvalho

 

Foto: Alessandro Carvalho

Compartilhe: