No dia 6 de junho, bancárias e bancários comemoraram 30 anos de organização nacional, um processo longo de construção, que significou aumento da capacidade de negociação, resultou em muitos avanços para a categoria e culminou na criação da Contraf-CUT em janeiro de 2006.

Foi no dia 6 de junho de 1985, às vésperas da primeira grande greve nacional dos bancários, diante da necessidade de articular a organização da categoria em todo o país, que representantes de sindicatos e oposições de 16 estados fundaram, em reunião no Rio de Janeiro, o Departamento Nacional dos Bancários da CUT (DNB/CUT). Na ocasião, foi eleita uma comissão provisória integrada por dirigentes dos sindicatos de São Paulo, Rio, Porto Alegre e Londrina.

Veja, abaixo, momentos importantes na construção da organização nacional dos bancários:

1986
– Encontro Nacional de Bancários aprova em São Paulo o estatuto do DNB-CUT e elege nova coordenação, integrada pelos sindicatos de São Paulo, Rio, Porto Alegre, Londrina, Ipatinga, Alagoas e Sergipe.

1987
– Pela primeira vez o DNB, representando a CUT, entrega pauta de reivindicações à Fenaban.

1989
– 1º Congresso do DNB-CUT, realizado em junho, elege a primeira diretoria, encabeçada por Ricardo Berzoini.

1990
– No 2º Congresso, em agosto, começa o debate para transformar o Departamento em Confederação (CNB-CUT).

1991
– O DNB-CUT avança rumo à unidade nacional e pela primeira vez apresenta à Fenaban a Minuta Mínima Unificada, com as reivindicações dos bancários de todos os bancos.

1992
– 3º Congresso transforma o DNB em CNB-CUT e aprova filiação à Fiet, federação internacional de trabalhadores em serviços. Berzoini é (re)eleito presidente.
– A CNB-CUT assina a primeira Convenção Nacional dos Bancários com a Fenaban.

1994
1º Congresso da CNB/CUT, realizado em junho em São Paulo, elege Sérgio Rosa presidente.
– Bancários conquistam a cesta-alimentação.

1995
Bancários são a primeira categoria a conquistar a PLR.

1997
O 2º Congresso da CNB, realizado no Rio de Janeiro, reelege Sérgio Rosa.

– Categoria conquista complementação salarial por doença ou acidente de trabalho, além da verba de requalificação profissional na demissão. Criada a comissão permanente de saúde e a comissão de raça, gênero e orientação sexual.

1998
Conquista do Programa de Prevenção, Tratamento e Readaptação de LER/Dort.

1999
A CNB-CUT participa, em março, da criação da Union Network Internacional (UNI), em Congresso Mundial realizado em Sidney, a partir da fusão da Fiet, da CI (Comunication International) e da FGI (Federação Internacional dos Gráficos). Gilmar Carneiro é eleito para o Comitê Executivo Mundial da UNI.
– Realizada em julho, no Rio, a 1ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro.
– A CNB-CUT é eleita para a direção da Coordenadora das Centrais Sindicais no Cone Sul (CCSCS).

2000
3º Congresso da CNB/CUT, realizada em São Paulo, elege Fernanda Carisio presidente.

2002
Realizada em agosto 1ª Conferência Mundial do Setor de Finanças da UNI, no Rio de Janeiro, seguida da 1ª Conferência da UNI Américas.
– Inclusão na CCT de cláusula sobre Igualdade de Oportunidades.

2003
O 4º Congresso da CNB-CUT elege Vagner Freitas presidente.
– Primeira campanha nacional unificada. Com greve, bancários dos bancos públicos conquistam a mesma PLR dos bancos privados.

2004
Com greve vitoriosa, bancários conquistam aumento real de salário, o que se repetiria nos dez anos seguintes.
– CNB/CUT assume a presidência da UNI Américas Finanças.

2005
Assinada a primeira Convenção Nacional dos Bancários com participação do Banco do Brasil e da CAIXA.

2006
Criada a Contraf-CUT, em assembleia realizada em Curitiba em janeiro. Luiz Cláudio Marcolino é eleito presidente.
– Conquista do valor adicional da PLR e implementação do grupo de trabalho para debater assédio moral com a Fenaban.
– 1º Congresso da Contraf-CUT, realizado em Nazaré Paulista em abril, elege Vagner Freitas presidente.

2007
Conquista da 13ª cesta-alimentação.

2008
A Contraf-CUT obtém o reconhecimento legal do Ministério do Trabalho.
– Conquista do primeiro Censo da Diversidade.

2009
2º Congresso da Contraf-CUT, em São Paulo, elege Carlos Cordeiro presidente.
– Conquista da licença-maternidade de 180 dias.
– Mudança no modelo de cálculo e melhorias da PLR adicional.
– Inclusão dos parceiros de mesmo sexo nos planos de saúde.

2010
Inclusão na CCT de cláusula com mecanismo de combate ao assédio moral.

2011
Fim de divulgação de rankings individuais de produtividade, ampliação do aviso prévio proporcional, 5 mil novas contratações na CAIXA, proibição de transporte de numerário por bancários e avanço na igualdade de oportunidades.

2012
Conquista do II Censo da Diversidade, do projeto piloto sobre segurança bancária e avanços na saúde e condições de trabalho.
– Realizado em Guarulhos o 3º Congresso da Contraf, com reeleição de Carlos Cordeiro.

2013
Com grande participação dos bancários, mobilização impede votação do PL 4330 da terceirização no CCJ da Câmara dos Deputados.
– Conquista da proibição de cobrança de metas via SMS, da mesa parar apurar causas dos adoecimentos e do vale-cultura.

2014
Com mais uma grande greve, bancários conquistam aumento real de salário pelo 11º ano consecutivo, acumulando ganho de 20,7% acima da inflação nos salários e de 42,1% no piso. Também conquistam avanços no combate às metas abusivas e ao assédio moral, na igualdade de oportunidades e na segurança bancária.

2015
4º Congresso, em São Paulo, elege Roberto Von Der Osten presidente da Contraf-CUT.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: