O Santander teve lucro líquido gerencial de R$ 13,849 bilhões em 2020, em pleno cenário de pandemia, desemprego e grave crise econômica. Mesmo com o compromisso firmado de não demitir durante a pandemia, o banco fechou 3.220 postos de trabalho e 175 agências em todo o país em 2020. Somente entre o início de abril e dezembro, foram 2.593 postos de trabalho e 106 agências fechadas.

Em meio a uma das maiores recessões econômicas das últimas décadas, o Santander ignorou sua responsabilidade social e contribuiu para o desemprego no Brasil, que responde pela maior fatia do seu lucro mundial.

Em 2020, o Santander lucrou R$ 18,464 bilhões apenas com tarifas e prestação de serviços, o suficiente para cobrir 204,4% da despesa com pessoal, incluindo PLR. Sobre as despesas administrativas, o lucro com tarifas cobriu 144,3% deste montante.

“Queremos que o Santander tenha responsabilidade. Quem lucra tanto, não pode demitir milhares de funcionários em plena pandemia. Além disso, o banco age com descaso ao exigir trabalho presencial da maioria dos funcionários durante a crise sanitária e explora com metas abusivas. Exigimos respeitos às trabalhadoras e aos trabalhadores brasileiros”, afirmou Wagner dos Santos, funcionário do Santander e diretor do Sindicato.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com SP Bancários

 

Compartilhe: