O Sindicato dos Bancários de BH e Região parabeniza trabalhadoras e trabalhadores neste 1º de maio, data que reforça a importância da luta e da mobilização para garantir avanços e conquistas para a classe trabalhadora. A categoria bancária é parte importante nessa luta e, com muita garra e união, conquistou uma Convenção Coletiva de Trabalho de abrangência nacional e segue ampliando direitos de bancárias e bancários a cada ano.

O Dia Mundial do Trabalho nasceu em 1889, em homenagem a uma greve geral que tomou as ruas de Chicago, nos Estados Unidos, em 1º de maio de 1886. Na ocasião, milhares de trabalhadores protestaram contra as péssimas condições de trabalho a que eram submetidos e exigiram a redução da jornada. O movimento foi duramente reprimido pela polícia, o que resultou em diversas prisões, operários feridos e mortos.

No Brasil, a data foi consolidada em 1925, quando o presidente Artur Bernardes instituiu o dia 1º de maio como feriado nacional. A data ficou marcada na história do país como um dia de reivindicações dos trabalhadores e, na Era Vargas, foi o momento utilizado para o anúncio de importantes leis, como a instituição e o posterior reajuste do salário mínimo e a redução da jornada de trabalho.

Durante o período da ditadura militar, o Dia do Trabalhador também foi marcado por grandes manifestações, como em 1980, quando mais de 100 mil trabalhadores se reuniram em São Bernardo do Campo para exigir democracia e melhores condições de trabalho.

Para a diretora de Cultura do Sindicato, Eliana Brasil, a mobilização dos trabalhadores é sua maior arma para a garantia de melhores condições de trabalho e a ampliação de direitos. “Devemos sempre reforçar nossa luta para que trabalhadoras e trabalhadores sejam reconhecidos como os verdadeiros responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento de nosso país. Bancárias e bancários são um exemplo desta união e têm garantido inúmeros avanços ano a ano. Neste 1º de maio, parabenizamos todos os homens e mulheres que, com seu suor e esforço, lutam todos os dias pela construção de um país mais justo e igualitário”, afirmou.

Compartilhe: