Com a justificativa de movimentar a economia, o governo Bolsonaro anunciou mudanças em relação aos saques do FGTS. Além de poder sacar até R$ 500 das contas ativas de acordo com calendário divulgado esta semana, trabalhadores também poderão optar pela realização de um saque anual, a partir de 2020, no mês de seu aniversário.

Porém, é preciso estar atento. O que parece uma boa oportunidade, é na realidade uma armadilha. Todos que optarem pelo saque-aniversário e forem demitidos não terão direito de sacar o valor total do FGTS. Mesmo que o trabalhador se arrependa e opte pelo saque-rescisão, ele só terá acesso aos valores da conta após dois anos.

Sendo assim, é preciso deixar claro: a nova modalidade de saque do FGTS é mais prejudicial do que benéfica aos trabalhadores. Além disso, ela contraria a principal razão de existência do Fundo de Garantia, que é dar segurança financeira aos trabalhadores em momentos de dificuldade.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Agência Brasil

 

Compartilhe: