Foto: Arquivo Sindicato

O Sindicato continua paralisando as atividades de agências do Santander em Belo Horizonte para exigir melhores condições de trabalho no banco. Nesta quinta-feira, 27, foram paralisadas as atividades na agência Pedro II e na última terça-feira, 25, na agência Horto. Até o final deste mês, o Sindicato continuará realizando as paralisações em unidades de trabalho de diversos bairros de Belo Horizonte.

Apesar de terem sido paralisadas as atividades de agências nas ruas Carijós e Espirito Santo, na praça Sete, Gutierrez, Francisco Sá, Barro Preto e Araguari, o banco mantém sua postura intransigente e de desrespeito em relação às reivindicações dos funcionários.

Os trabalhadores exigem o fim das metas abusivas e do assédio moral, o fim da rotatividade, mecanismos que protejam o emprego contra demissões imotivadas no banco, mais segurança e melhores condições de trabalho nas agências. Em alguns casos, gerentes administrativos e coordenadores têm que assumir a função de caixas por falta de funcionários.

No final de 2012, o Santander promoveu uma série de demissões, que totalizaram o corte de 975 postos de trabalho de acordo com dados do Dieese.

Para o funcionário do banco e diretor do Sindicato, Davidson Siqueira, a postura do Santander é absurda diante de seus lucros bilionários. “Mesmo tendo lucrado, no Brasil, mais de R$ 6 bilhões em 2012, o Santander demitiu e continua demitindo bancários, além de cometer assédio moral e cobrar metas abusivas dos funcionários. O Sindicato continuará lutando e paralisando agências para garantir condições dignas de trabalho”, afirmou.


Paralisação no dia 14 de junho no Barro Preto

Compartilhe: