No Dia Mundial de Luta Contra a Aids, 1º de dezembro, o Sindicato reafirma seu papel social de luta contra preconceito e a desinformação. Desde 1994, a entidade realiza o Carnaval Sem Aids/IST, que visa conscientizar a população sobre a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento para garantir mais qualidade de vida aos portadores do vírus HIV.

De acordo com o último Boletim Epidemiológico HIV/Aids, do Ministério da Saúde, o Brasil registrou cerca de 300 mil novas infecções entre 2007 e 2019. Destes, 69% eram homens e 31% mulheres.

Hoje, é possível viver com o HIV. Atualmente, 75% das pessoas vivem com o vírus e conhecem seu estado sorológico. Com o tratamento adequado, os portadores do vírus podem se tornar indetectáveis, o que significa que a pessoa não apresenta sintomas e sequer transmite o vírus. No Brasil, mais de 90% das pessoas em tratamento já atingiram esse estado.

Além disso, com os avanços da medicina, não há motivos para não se prevenir. Hoje, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tecnologias avançadas, como a PEP, sigla em inglês para profilaxia pós-exposição. Trata-se da prescrição de medicamentos para prevenir a infecção pelo HIV em caso de contato recente com o vírus.

O SUS também oferece, gratuitamente, a profilaxia pré-exposição (PrEP), que consiste na tomada diária de um comprimido, antes do contato com o vírus, para impedir que o HIV infecte o organismo.

Com informação, prevenção e sem tabus, é possível vencer o HIV e a Aids. Conscientize-se e use sempre camisinha! Em caso de dúvidas e para saber mais sobre a testagem e o tratamento, utilize o Disque Saúde (136) ou o Disque Aids: 0800-541-0197.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Ministério da Saúde

 

Compartilhe: