O Dia Internacional da Mulher, 8 de março, é uma data reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1975, sendo fruto de diversas lutas das mulheres em todo o mundo. Para marcar o mês, movimentos sociais e entidades sindicais organizam atividades e campanhas que serão predominantemente virtuais devido à pandemia.

Nesta segunda-feira, 8, a categoria bancária realiza um tuitaço (siga o Sindicato no Twitter) com a hashtag #MulheresNaLutaPelaVida. O objetivo é defender a vida das mulheres, com o fim da violência, vacinação e emprego decente.

A luta das mulheres no Brasil já teve importantes conquistas, como o direito de cursar a universidade (1879), o direito de votar (1932), a Lei Maria da Penha (2006) e a Lei do Feminicídio (2015).

Já na categoria bancária, a mobilização das mulheres conquistou cláusulas na Convenção Coletiva (CCT) sobre igualdade de oportunidades, a realização do Censo da Diversidade para traçar estratégias de inclusão, a licença-maternidade de 180 dias e, no ano passado, cláusulas na CCT que garantem apoio às bancárias vítimas de violência. Porém, ainda há muito o que avançar.

Neste Mês da Mulher, o Sindicato denuncia o retrocesso representado pelo atual governo, que retira direitos de trabalhadoras e promove discursos de ódio. Reforça também seu compromisso de luta contra a violência de gênero e o machismo, assim como em defesa da representatividade e da igualdade de direitos e oportunidades.

Veja o vídeo das diretoras do Sindicato em homenagem ao Mês da Mulher:

 

Compartilhe: