A ação referente ao passivo da Fundação Francisco Conde devido aos participantes do IABCN (Instituto Assistencial BCN) segue avançando na Justiça. Já foram encerrados o prazo e as análises das impugnações apresentadas por beneficiários que solicitaram ajustes nos cálculos. Além disso, os advogados que representam os trabalhadores já apresentaram à Justiça, no dia 2 de fevereiro, a planilha atualizada e retificada com os valores individualizados a serem pagos.

Com isso, o cálculo para o pagamento segue para a apreciação do Ministério Público. Caso o MP dê o seu aval ao cálculo e o juiz responsável pela ação o homologue, os pagamentos poderão ser realizados. Entretanto, não foi fixado prazo para que isso aconteça.

Com a rápida apresentação da planilha pelos representantes dos beneficiários, a ação deu mais um passo rumo ao justo pagamento dos cerca de 3.900 ex-funcionários do banco BCN.

Entenda o processo

Os recursos do IABCN (Instituto Assistencial BCN), que era administrado pela Fundação Francisco Conde (FFC), são constituídos por contribuições do extinto banco BCN e dos funcionários. Eles estavam bloqueados desde que o Bradesco adquiriu a instituição financeira, em 1997, e ainda dependem de trâmite judicial para serem pagos.

 

Compartilhe: