Mesmo com os enormes lucros obtidos no ano, a CAIXA continua tratando empregados de forma desumana.

De acordo com levantamento divulgado nesta segunda-feira, 19, o banco obteve lucro líquido de R$ 4,197 bilhões entre janeiro e setembro, aumento de 17,7% em relação ao mesmo período do ano passado e valor recorde para o período.

Apesar dos números favoráveis, as denúncias em relação aos abusos cometidos pelo banco no tratamento aos seus empregados continuam. Denúncia apresentada durante a reunião da mesa de negociação permanente realizada no dia 8 de novembro com participação do Sindicato, os tesoureiros da CAIXA trabalham em condições precárias e falta segurança em muitas agências para evitar a exposição destes empregados. Além disso, o banco reduziu a jornada de trabalho das funções técnicas de 8 para 6h, mas manteve a função de tesoureiro, antigo técnico de operações de retaguarda, com as 8h diárias.

Os tesoureiros ficaram em situação ainda pior quando a CAIXA colocou sob responsabilidade destes empregados seu novo projeto ?Bela Agência?, que permite às agências contratar serviços simples de manutenção. O projeto sobrecarrega os tesoureiros ao delegar a eles a responsabilidade de realizar o levantamento das condições físicas da agência, o que extrapola sua função.

Outro problema está no baixo crescimento das vagas de emprego diante de lucros tão exorbitantes e do crescimento no volume de operações do banco.

Apesar de, no último ano, ter crescido o número de postos de trabalho, a quantidade de empregados é insuficiente para a realização dos serviços, o que prejudica os trabalhadores ao gerar sobrecarga. Além disso, a CAIXA vem inaugurando novas agências com números insuficientes de empregados para desenvolver o trabalho. O movimento dos trabalhadores defende a abertura de novas agências desde que haja contratações de mais bancários, já que ainda faltam 1.040 novas contratações para o banco cumprir o acordo feito com os trabalhadores de 92 mil empregados até dezembro deste ano.

Para o empregado da CAIXA e presidente do Sindicato, Cardoso, apesar de o lucro exorbitante ser fruto do esforço dos empregados, que não medem esforços para que as metas sejam atingidas, isso não é reconhecido pela direção do banco. “Prova disso é que a direção da CAIXA, numa prática antissindical e covarde nunca vista no movimento, resolveu de forma arrogante e truculenta descontar o dia 28 de setembro e o sábado dos empregados que decidiram em uma assembleia democrática e soberana, de forma legítima, pela continuidade da greve. A mesma direção do banco que retaliou de forma covarde os trabalhadores, agora, cinicamente, envia mensagem parabenizando estes empregados punidos pelo desempenho que resultou em lucro histórico. O Sindicato repudia essa atitude desrespeitosa da CAIXA e exige que o banco respeite o direito de livre manifestação destes que são os principais responsáveis pelo crescimento deste patrimônio que é do povo brasileiro”, ressaltou.

Compartilhe: