O Itaú obteve, em 2015, o maior lucro anual da história de um banco registrado até hoje, de R$ 23,8 bilhões, com aumento de 15,6% em relação ao resultado do ano anterior. O número supera o recorde do próprio Itaú em 2014. O retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio Anualizado (ROE) ficou em 23,9%, estável em relação ao ano anterior. O balanço foi divulgado nesta terça-feira, 2.

Apesar do excelente desempenho, o Itaú reduziu 2.711 postos de trabalho, contribuindo para o aumento do desemprego no país e para a piora das condições de trabalho em suas unidades.

De acordo com a análise feita pelo Dieese, a holding encerrou o ano de 2015 com 83.481 empregados no país, com redução de 2.711 postos de trabalho em relação a 2014. Foram abertas 63 agências digitais e foram fechadas 120 agências físicas no país no ano. O total de agências no Brasil e no exterior encerrou 2015 em 4.985.

Aumento da Selic teve impacto no resultado

O crescimento das receitas com Títulos e Valores Mobiliários (TVM) foi diretamente influenciado pelos sucessivos aumentos na taxa Selic e elevação nos índices de preços, apresentando um crescimento de 65,6% e totalizando R$ 64,8 bilhões.

Receitas com tarifas cobrem despesas em 164,7%

A receita com prestação de serviços mais a renda das tarifas bancárias apresentou crescimento de 11,1% no período, totalizando R$ 30,8 bilhões.

As despesas de pessoal subiram 13,8%, atingindo R$ 18,7 bilhões, tendo como principal destaque o aumento de despesas com processos trabalhistas e desligamento de funcionários que variou 32,5% em relação a 2014, perfazendo um montante de R$ 1,9 bilhão.

Em 2015, a cobertura da despesa do banco com pessoal pelas receitas secundárias foi de 164,7%.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT e Dieese

Compartilhe: