Fotos: Arquivo Sindicato

Após pressão realizada pelos bancários do Itaú em Sete Lagoas, organizados pelo Sindicato dos Bancários de BH e Região, a Fundação Itaú Saúde se comprometeu a ampliar imediatamente a rede de médicos credenciados para os bancários lotados no município, com a contratação de mais uma operadora que atenderá através da própria Fundação. Nesta quarta-feira, 10, foram paralisadas as atividades das quatro agências do banco na cidade para protestar contra a precarização do plano de saúde.

Desde dezembro de 2012, representantes da Fundação Saúde Itaú e do banco haviam se comprometido com o Sindicato a realizar estudos e apresentar uma proposta para ampliar a rede credenciada para atendimento aos bancários. Sete meses depois, o banco ainda não havia se posicionado sobre a situação, o que levou os funcionários lotados em Sete Lagoas a paralisarem as atividades das agências. Os bancários denunciam os prejuízos causados pelas cobranças de metas abusivas, com o consequente adoecimento de funcionários que têm que lidar ainda com um plano de saúde decadente.

Para o funcionário do Itaú e diretor do Sindicato, Ramon Peres, o descaso do banco com a saúde dos bancários foi a gota d’água para que os funcionários das quatro agências de Sete Lagoas decidissem pela paralisação. “É um absurdo o que o banco faz com seus funcionários. Enquanto as pressões aumentam para que os trabalhadores atinjam metas abusivas, o banco trata com descaso o plano de saúde dos bancários, sendo que mais da metade da atual rede de atendimento cadastrada no catálogo da Fundação Saúde Itaú em Sete Lagoas se descredenciou”, afirmou.

O diretor destacou ainda que “o Sindicato cobra e continuará lutando pela melhoria do plano de saúde do Itaú não só em Sete Lagoas, mas em todas as cidades de sua base que estão passando pelo mesmo problema de descredenciamento e atendimento precário por causa da rede reduzida”.

Compartilhe: