A assembleia dos bancários desta terça-feira, 1º de outubro, aprovou uma moção de repúdio contra gestores do BB, o Gerente Regional de Pessoas João Batista Gimenez e o Gerente de Núcleo Tales Ribeiro, que a mando do Diretor de Gestão de Pessoas Carlos Netto, vêm dando um péssimo exemplo nesta greve.

 

Como se não bastasse o assédio moral e a intimidação da direção do banco na tentativa de impedir que os bancários exerçam o seu sagrado direito de greve, os gestores do BB agora estão fazendo o papel de espião do banco. A exemplo do que acontecia no auge da ditadura militar quando a repressão torturava e matava, a direção do BB está mandando gestores para as assembleias para vigiar e intimidar os bancários que participam da greve.

 

Para o presidente do Sindicato, Cardoso, a atitude do diretor Carlos Netto é inaceitável e deixa claro a política assediadora da direção do banco que nesta greve vem demonstrando total falta de respeito à liberdade de expressão e de manifestação dos bancários. “É inadmissível que em plena democracia que conquistamos a duras penas e que custou a vida de vários brasileiros, Carlos Netto mande gestores para a assembleia para intimidar os funcionários. Eles chegam na assembleia como bancários, mas não falam e nem votam, só intimidam os bancários presentes. O Sindicato não aceitará essa atitude covarde e continuará a denunciar esta forma de assédio da direção do banco que é um desrespeito aos funcionários do BB”, afirmou.

Compartilhe: