No último dia 17 de dezembro, a Previ – Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil informou que recebeu o pagamento de R$ 190 milhões da Petrobras – Petróleo Brasileiro S/A, referente ao montante integral do acordo celebrado com a Petrobras sobre o litígio arbitral relacionado ao investimento na Sete Brasil. Esta ação, de diligência da Previ, foi iniciada em 2017, numa câmara de arbitragem, que julga ações comerciais e não transitou em nenhuma instância da justiça comum no Brasil.

Principalmente através de nossos representantes eleitos, a Previ está há muito tempo tomando as medidas relativas à defesa dos interesses dos associados através de ações judiciais visando a recuperação de valores investidos.

É importante destacar que o modelo atual de governança implantado na Previ tem sido fundamental para o sucesso reconhecido por todos que fiscalizaram a entidade nos últimos anos. Até mesmo o próprio relatório da CPI dos Fundos de Pensão elogiou a postura da Previ, que, baseada em critérios técnicos, “saiu” da continuação dos investimentos na “Sete Brasil” na hora certa, ao contrário de outros fundos, inclusive estrangeiros, e bancos como o BTG, o Bradesco e o Santander.

“Em outros tempos, sem essa governança, tivemos prejuízos com investimentos, como por exemplo: Sauípe(BA), Hospital Umberto Primo(SP) e o Magic Park(SP)” destacou o funcionário do BB e diretor do Sindicato, Márcio Chaves.

Márcio Chaves lembrou que conseguir que a gestão da Previ passasse a ser compartilhada, entre representantes indicados pelo BB e representantes eleitos pelos funcionários traz transparência à administração da entidade. “Uma conquista de valor incalculável que, inclusive, corremos risco de perder, tendo em vista que o governo atual demonstra intenção de acabar com as eleições a fim de “profissionalizar” a gestão, permitindo a terceirização da administração dos recursos dos fundos de pensão no país”, concluiu.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região

Compartilhe: