Nesta quinta-feira, 27 de abril, o Sindicato levou a “Porta do Inferno” para a Praça Sete, no centro de Belo Horizonte. Na véspera da Greve Geral, que contará com a adesão da categoria bancária em todo o país, a entidade foi às ruas mais uma vez para denunciar os ataques aos direitos dos trabalhadores e o verdadeiro inferno a que estão sendo submetidos os brasileiros com as medidas adotadas por Temer.

Durante o ato, o Sindicato mostrou à população que as reformas da Previdência e trabalhista, vendidas como benéficas e necessárias pelo governo, visam na realidade destruir as leis previdenciárias e a CLT. A entidade entregou materiais informativos e convocou todos para a mobilização.

Na noite de ontem, a Câmara dos Deputados mostrou, mais uma vez, que não legisla em benefício do povo. Com a aprovação da reforma trabalhista, os parlamentares governistas deixaram claro que atendem apenas aos interesses dos grandes empresários que financiaram a chegada de Temer ao poder. O projeto, agora, segue para o Senado.

“Por isso, nossa mobilização deve ser reforçada. A Greve Geral desta sexta-feira, 28, contará com a participação de diversas categorias em todo o Brasil e daremos um claro recado ao governo e ao Congresso Nacional. Não aceitamos que nossos direitos sejam destruídos, não aceitamos o desmonte da Previdência e dos bancos públicos. Rumo à Greve Geral! Contamos com a participação de todas e todos”, afirmou a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil.

Nesta sexta, em Belo Horizonte, a concentração de trabalhadores e movimentos sociais será realizada a partir das 9h na Praça da Estação. Participe!

Compartilhe: