Foto: Contraf-CUT

 

O Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) assinaram, nesta segunda-feira, 25, um termo aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2016/2018 para regulamentar a criação de centros de realocação e requalificação profissional, conforme previsto na Cláusula 62 da CCT. O ato das assinaturas foi realizado às 16h em São Paulo.

Esta era uma pendência da mesa de negociações do ano passado e o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban chegaram a uma redação final na última reunião entre as partes, ocorrida no dia 24 de agosto.

Para Roberto von der Osten, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e um dos coordenadores do Comando Nacional dos Bancários, neste contexto de reestruturações e aumento do desemprego, trata-se de um importante avanço. “A criação destes centros vai permitir a realocação de trabalhadores de agências fechadas e daqueles que ocupam funções que estão sendo extintas e não tenham as habilidades necessárias para as novas funções. Se os centros evitarem ou, pelo menos, possibilitarem a redução destas demissões teremos conseguido um grande avanço para a categoria”, explicou.

O presidente da Contraf-CUT afirmou ainda que a assinatura deste acordo é uma mostra da importância e da validade do processo negocial entre os bancos e os representantes dos trabalhadores. “Não queremos acordos que nos tirem direitos. Quando existem sindicatos fortes e a categoria está organizada, é possível chegarmos a acordos que tragam benefícios para os trabalhadores. Esse é um fruto da negociação que temos que valorizar”, avaliou.

As comissões de empregados (COEs e CEEs) agora podem tratar, com os respectivos bancos, dos detalhes dos centros a serem implementados em cada um deles.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: