Fotos: Alessandro Carvalho

Bancárias e bancários da CAIXA e do Banco do Brasil realizaram, neste sábado, 10 de junho, seus Encontros Estaduais. Os eventos ocorreram no Dayrell Hotel, no centro de Belo Horizonte, e contaram com uma abertura conjunta, onde os participantes puderam debater a atual conjuntura e as ameaças sofridas pelos trabalhadores e pelos bancos públicos.

Na mesa de abertura, estiveram presentes a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, que representa Minas Gerais na mesa de negociação com a CAIXA; o presidente da Contraf-CUT, Roberto von der Osten; a presidenta da CUT-MG, Beatriz Cerqueira; a presidenta da Fetrafi-MG/CUT, Magaly Fagundes; o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB e diretor do Sindicato, Wagner Nascimento; o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da CAIXA (CEE/Caixa), Dionísio Reis; o deputado estadual André Quintão (PT); a diretora do Sindicato e representante de Minas Gerais na mesa de negociação com o BB, Luciana Bagno; o diretor do Sindicato e secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT, Carlindo Dias (Abelha); o diretor do Sindicato e diretor de Administração e Finanças da Fenae, Cardoso; o presidente da APCEF-MG, Paulo Roberto Damasceno; o presidente do Sindicato dos Bancários de Divinópolis e Região, Djalma Antônio Biata; e o presidente do Sindicato dos Bancários da Zona da Mata e Sul de Minas (Sintraf-JF), Paulo Sérgio Brito.

Todos os presentes destacaram, em suas saudações, a importância da mobilização e da organização dos trabalhadores diante da difícil conjuntura que se impõe, com ataques aos direitos conquistados e ao patrimônio dos brasileiros.

A presidenta da CUT-MG, Beatriz Cerqueira, destacou também a importância da liderança das mulheres e parabenizou a Chapa 1 pela vitória na eleição do Sindicato dos Bancários de BH e Região, com a reeleição da presidenta Eliana Brasil.

Defesa dos bancos públicos

O primeiro painel conjunto dos Encontros tratou da defesa dos bancos públicos. Para debater o tema e as ameaças impostas pelo governo Temer a estas importantes instituições, participaram da mesa o ex-presidente da Previ e da Contraf-CUT, Sergio Rosa, o diretor de Administração e Finanças da Fenae, Cardoso, o 2º vice-presidente da Associação dos Funcionários do BNDES (AFBNDES), Arthur Koblitz, e a diretora do Sindicato Luciana Bagno.

Análise de conjuntura e balanço dos bancos

Já a análise da atual conjuntura política e econômica foi realizada pelo presidente da Contraf-CUT, Roberto von der Osten. O bancário reforçou que a categoria deve estar mobilizada para enfrentar os ataques aos direitos dos brasileiros, que se manifestam nas reformas trabalhista e da Previdência e também na estratégia de desmonte das empresas estatais.

Para dar subsídio às discussões, os participantes dos Encontros puderam também analisar os balanços da CAIXA e do Banco do Brasil através da apresentação do economista e técnico da subseção do Dieese na Fenae, Felipe Miranda.

Propostas específicas e eleição de delegados

Após a realização dos debates, bancárias e bancários da CAIXA e do BB realizaram reuniões separadas para discutir temas específicos e definir propostas que serão levadas para os congressos nacionais de cada banco.

Os debates dos empregados da CAIXA foram divididos entre os seguintes temas: Defesa da CAIXA; Saúde e Condições de Trabalho; Saúde Caixa; Previdência; Terceirização; Reforma Trabalhista; Defesa dos Bancos Públicos; Funcef; Aposentados; Mais Empregados; Verticalização; Reestruturação.

Já os debates específicos sobre a pauta dos funcionários do Banco do Brasil abordaram temas como desmonte do BB e reestruturação, a defesa dos bancos públicos, conjuntura, saúde e previdência e também a política internacional de organização dos trabalhadores do banco.

Os Encontros Estaduais se encerraram com a eleição de delegadas e delegados que representarão Minas Gerais no 33º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef) e no 28º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB).

“Vivemos um momento muito particular, onde os ataques aos bancos públicos se tornam cada dia mais concretos. Diante desse cenário, a participação das bancárias e bancários nos nossos Encontros Estaduais e Congresso Nacional se faz ainda mais importante. Tivemos, durante o Encontro Estadual, excelentes debates e importantes propostas, que serão levadas e debatidas em nível nacional no nosso 28º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil”, ressaltou a diretora do Sindicato e representante de Minas Gerais na mesa de negociação com o BB, Luciana Bagno.

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, também destacou a importância da participação de bancárias e bancários de base nos encontros. “É momento de estarmos bem informados e de produzirmos conhecimento para que possamos conscientizar a categoria e toda a população sobre os duros ataques que o governo ilegítimo quer impor aos trabalhadores e aos bancos públicos brasileiros. Durante o Encontros Estadual, realizamos discussões ricas que nos municiam para reforçar a luta contra esse momento de retrocesso”, afirmou.

Compartilhe: