Fotos: Arquivo Sindicato

Bancárias e bancários da CAIXA e do Banco do Brasil realizaram, neste sábado, 31, na sede do Sindicato, seus Encontros Estaduais. Contando com a participação de representantes de diversos sindicatos de bancários de Minas Gerais e da Fetraf-MG, os Encontros promoveram debates sobre as questões específicas de cada banco e aprovaram propostas que serão levadas ao Congresso Nacional dos Empregados da CAIXA (Conecef) e ao Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil, que serão realizados entre os dias 6 e 8 de junho em São Paulo.

Antes da reunião dos bancários para os debates específicos, a técnica do Dieese, Regina Coeli, realizou uma apresentação dos balanços da CAIXA e do BB, com dados e números que auxiliaram nas discussões posteriores. Representantes dos empregados nos conselhos de administração da CAIXA -Fernando Neiva, diretor do Sindicato – e do Banco do Brasil – Rafael Matos – também compuseram a mesa de abertura do evento e conversaram com os participantes sobre suas atuações nas instâncias de decisão dos bancos.

Além disso, também durante os Encontros Estaduais, foram eleitos os delegados de cada banco que representarão Minas Gerais nos Congressos Nacionais.

O empregado da CAIXA e presidente do Sindicato, Cardoso, ressaltou a importância dos encontros para a organização da categoria. “Já estamos dando início à próxima Campanha Nacional e, durante os encontros, poderemos discutir as reivindicações específicas que serão levadas ao Congresso. Para que possamos conquistar ainda mais, os debates e a participação de bancárias e bancários são essenciais”, afirmou.

CAIXA

Durante o 23º Encontro Estadual, empregadas e empregados debateram questões específicas da CAIXA e elaboraram as propostas que serão levadas ao 30º Conecef em São Paulo. Entre os temas tratados estavam a organização do movimento, o papel social da CAIXA, saúde do trabalhador e condições de trabalho, Funcef, jornada de trabalho, isonomia, carreira, terceirização e contratação.

Os empregados da CAIXA avaliaram a importância do Encontro Estadual. Para Pedro Lourenço, que participou do Encontro pela primeira vez afirmou que o momento “é importante por oferecer um espaço democrático em que cada um pode expor suas ideias. Juntos, podemos discutir as questões do banco e com a união conseguimos chegar a propostas que atendam às reivindicações da categoria”.

Já Rodolfo Bechtlufft, que também é empregado do banco, ressaltou a importância da participação de empregadas e empregados. “É fundamental a participação e a proximidade entre os trabalhadores e o Sindicato. Os encontros de discussão são um momento essencial na organização dos bancários e devem ser amplos, com a participação de todos”, afirmou.

Por fim, o empregado Warley Ávila também considerou essencial a participação de empregadas e empregados, principalmente dos mais jovens. “Este momento de discussão é extremamente importante para a construção das nossas reivindicações e para assegurarmos mais vitórias para a categoria. É fundamental que bancárias e bancários mais jovens participem destes Encontros e Congressos”, frisou.

Banco do Brasil

Funcionárias e funcionários do Banco do Brasil também discutiram as questões específicas do banco. Neste 4º Encontro Estadual, foram definidas as propostas que serão levadas ao 25º Congresso Nacional dos Funcionários do BB e eleitos os delegados que representarão Minas Gerais no evento nacional. O representante eleito dos funcionários no Conselho de Administração do Banco do Brasil, Rafael Matos, também participou das discussões.

Os principais eixos que nortearam as discussões durante o Encontro foram Remuneração e Condições de Trabalho; Saúde e Previdência; Organização do Movimento Sindical; e Banco do Brasil e Sistema Financeiro Nacional.

“O funcionário do Banco do Brasil, Francisco Solano, afirmou que o Encontro Estadual foi o pontapé inicial da Campanha Nacional. “É importante aumentar a participação de funcionárias e funcionários. Daqui sairão as primeiras ideias que construirão nossa pauta de reivindicações específicas. Temos que nos organizar para garantir mais conquistas e a igualdade e o respeito a todos os funcionários do Banco do Brasil”, afirmou.

Compartilhe: