Foto: Marcos Alvarenga

Diante da falta de funcionários nas agências e da sobrecarga de trabalho enfrentada por bancários da CAIXA e do Banco do Brasil, o Sindicato realizou ato durante a manhã desta sexta-feira, 18, em Belo Horizonte. A mobilização conjunta dos trabalhadores dos dois bancos é realizada em todo o Brasil para exigir mais contratações e o fim das pressões sobre os bancários, que geram inclusive o adoecimento dos trabalhadores.

Durante o ato, que ocorreu em frente à Agência Belo Horizonte do Banco do Brasil, na rua Rio de Janeiro, 750, no centro da capital, os trabalhadores reforçaram a urgência da demanda por mais trabalhadores nos dois bancos públicos. A situação, que já era complicada, ficou ainda mais grave em decorrência do Plano de Apoio à Aposentadoria (PAA) na CAIXA e o Plano de Aposentadoria Incentivada (PAI) no Banco do Brasil.

Os bancários também aproveitaram o momento para exigir o fim das demissões nos bancos privados. Apesar dos recordes de lucro obtidos neste ano, este bancos continuam cortando postos de trabalho, praticando rotatividade e submetendo funcionários a grandes pressões para o cumprimento de metas.

Nesta sexta-feira, ocorrem novas rodadas de negociação com a CAIXA e com o Banco do Brasil, como parte da Campanha Nacional 2015. A reivindicação por mais contratações é ponto prioritário nas duas pautas específicas.

Para o funcionário do Banco do Brasil e diretor do Sindicato, Matheus Coelho, a nomeação de concursados no BB é mais que necessária, principalmente com a situação agravada pelo Plano de Aposentadoria Incentivada. “O que já estava ruim piorou com o Plano de Aposentadoria Incentivada, e a velocidade atual das nomeações não consegue suprir uma demanda já existente. As metas são insensíveis à redução do quadro funcional no banco. A consequência desta política nefasta de gestão de pessoas é o adoecimento em série de bancários”, afirmou.

Já a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, destacou a presença de concursados na CAIXA no ato e chamou atenção para a urgência das contratações. “Exigimos a convocação dos aprovados e mais contratações, e esta reivindicação será reforçada durante as mesas de negociação desta sexta. Fomos às ruas para mostrar a toda a população que a valorização dos trabalhadores e o fortalecimento dos bancos públicos são essenciais também para melhorar o atendimento prestado à sociedade e para garantir o desenvolvimento econômico e social do Brasil”, ressaltou.

Compartilhe: