Fotos: Alessandro Carvalho

Foram realizados, neste sábado, 30 de maio, em Belo Horizonte, os encontros estaduais dos bancários da CAIXA e do Banco do Brasil. Contando com a participação de representantes de diversos sindicatos de bancários de Minas Gerais e da Fetrafi-MG, os eventos foram realizados no hotel Max Savassi e promoveram debates sobre as questões específicas de cada banco.

Ao final de cada encontro, bancárias e bancários aprovaram propostas e elegeram delegadas e delegados que representarão Minas Gerais no 31º Congresso Nacional dos Empregados da CAIXA (Conecef) e no 26º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil. Ambos serão realizados em São Paulo, entre os dias 12 e 14 de junho, e definirão as pautas de reivindicações específicas dos bancos para a Campanha Nacional 2015.

Os eventos contaram com a participação do secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento de Minas Gerais, André Quintão, do presidente da Fenae, Jair Ferreira, do diretor de Seguridade da Previ, Marcel Barros, e do técnico do Dieese Felipe Miranda.

Após as discussões sobre conjuntura e análise de balanços de cada um dos bancos, bancárias e bancários passaram aos debates específicos.

Em relação à CAIXA, empregadas e empregados realizaram discussões sobre importantes questões, como organização do movimento, CAIXA 100% pública, saúde do trabalhador, condições de trabalho, Saúde Caixa, Funcef, aposentados, segurança bancária, jornada de trabalho, Sipon, isonomia, carreira, terceirização e contratação.

Já os debates de funcionárias e funcionários do BB, com representantes de diversas agências de varejo e Estilo, CENOP, Operações, GENOP Logística e IQN, foram organizados em quatro temas principais: Remuneração e condições de trabalho; Cassi/ Saúde – Previ/Previdência; Organização do Movimento; e Banco do Brasil e o Sistema Financeiro Nacional.

Durante o Encontro, os bancários do Banco do Brasil realizaram importante debate sobre a situação na Cassi e a proposta apresentada pelo BB sobre a questão. Foi tirada, ainda, moção em favor da dirigente Arivoneide Cerqueira, demitida recentemente pelo BB por ter divulgado número de vagas existentes e cobrado contratações de bancários no estado de Alagoas.

O funcionário do BB e diretor do Sindicato Helberth Ávila avalia que “a participação dos funcionários nos debates acerca das condições de trabalho e das perspectivas de melhora na relação entre trabalhadores e empregador é de fundamental importância para que haja sintonia entre a atuação do Sindicato e os anseios dos trabalhadores representados”.

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, também destacou a importância das discussões. “Dando início à nossa próxima Campanha Nacional, pudemos construir propostas que serão levadas para as discussões nacionais em busca da construção das pautas de reivindicações da CAIXA e do Banco do Brasil. A participação de bancárias e bancários de diversas regiões de Minas Gerais foram essenciais para enriquecer os debates durante os encontros estaduais”, afirmou.

Compartilhe: