Com o lema “Lutar, defender e garantir – Nenhum direito a menos”, a 19ª Conferência Nacional dos Bancários” foi oficialmente aberta na noite desta sexta-feira, 28 de julho, em São Paulo. Delegadas e delegadas de todo o país participam do evento para debater a atual conjuntura e reforçar a mobilização em defesa da categoria, dos direitos dos trabalhadores e contra o desmonte promovido por Temer.

A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, fez parte da composição da mesa de abertura solene, que contou com os membros do Comando Nacional dos Bancários, representantes de centrais sindicais, outras categorias e entidades que representam os trabalhadores.

Em suas falas, os presentes reforçaram a importância da unidade da classe trabalhadora neste difícil momento. Todos lembraram que é essencial se organizar para combater os efeitos da nefasta reforma trabalhista, que ameaça o emprego e os direitos de trabalhadoras e trabalhadores em todo o país.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, que também compôs a mesa, conclamou todas e todos para que estejam mobilizados para combater os retrocessos da agenda do governo golpista. “É momento de ir à luta. Nós ainda podemos impedir a reforma da Previdência, nós ainda podemos retirar o Temer da presidência, nós podemos ter eleições ‘Diretas Já’ e uma assembleia constituinte”, afirmou Vagner, destacando que é essencial conscientizar a população e os trabalhadores sobre as ameaças que se apresentam.

Já o presidente da Contraf-CUT, Roberto Von der Osten, saudou os participantes e falou sobre o histórico das conferências nacionais da categoria, ressaltando que a luta deve ser fortalecida mesmo com o acordo de dois anos assinado em 2016. “Temos uma Campanha Nacional que vai muito além da questão salarial. Nosso foco é o emprego, que está sendo atacado pelas reformas, pelas transformações tecnológicas, pelas reestruturações dos bancos públicos. Estamos aqui para pensar em um plano de ação para fazer esse enfrentamento”, afirmou.

A 19ª Conferência Nacional prossegue até o domingo, 30 de julho, com debates sobre conjuntura, defesa do emprego, reforma trabalhista e reforma da Previdência. No encerramento do evento, delegadas e delegados aprovarão um Plano de Lutas da categoria.

Compartilhe: