capa

Fotos: Alessandro Carvalho

 

Desafiando os ataques dos bancos contra o movimento legítimo em defesa dos seus direitos, a categoria bancária tem mostrado sua força e disposição de luta na greve deste ano. Nesta terça-feira, 20 de setembro, 73% das unidades de trabalho da base de Belo Horizonte e região paralisaram suas atividades, deixando clara a indignação da categoria.

Não bastasse o descaso nas mesas de negociação, os banqueiros têm tentado forçar funcionárias e funcionários a “furar” a greve, além de orientar a retirada de cartazes para passar para a população a imagem de que o movimento está se enfraquecendo. Porém, com muita garra e unidade, os diretores do Sindicato e toda a categoria têm resistido às tentativas de intimidação, nesta que já é a greve com maior adesão da história.

Em mais uma atitude autoritária, o banco Santander tentou também, nesta semana, através de um interdito proibitório, acabar com as paralisações em suas unidades de trabalho na base de BH e região e atacar o direito de greve garantido pelo artigo 9º da Constituição Federal. O instrumento, muito utilizado nos tristes tempos da ditadura militar, foi rejeitado pela Justiça do Trabalho, que negou a liminar e reconheceu os direitos dos trabalhadores.

Em sua decisão, a Juíza Gisele de Cassia Vieira Dias Macedo, da 42ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, afirmou que o Santander “deve se atentar que a única forma do ente sindical conseguir a adesão de maior número de trabalhadores à greve é realizar piquetes em frente às agências, utilizando-se de faixas e presença humana, sendo que estes são os meios pacíficos autorizados por Lei. Entendimento contrário acabaria por ceifar o Direito de Greve”.

Neste 15º dia de paralisações, o Sindicato esteve novamente nas ruas e nas agências para mostrar a toda a população a importância da mobilização diante do descaso dos bancos. Um ato foi realizado em frente à agência do Banco do Brasil localizada na rua dos Tamoios, 731, no centro de Belo Horizonte, com a distribuição de carta aberta à população esclarecendo os motivos da greve e também material sobre o abono proposto pela Fenaban, que representa perda para os trabalhadores.

Diante da falta de propostas dos bancos, a mobilização continua e precisa ser reforçada. Nesta quarta-feira, 21 de setembro, o Sindicato realiza ato em frente à agência do Itaú na avenida do Contorno, 1515, no bairro Floresta. A participação de todos é de suma importância para o fortalecimento do movimento.

 

Confira, abaixo, mais fotos desta terça-feira:

 

Compartilhe: