Funcionárias e funcionários do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) definiram e aprovaram, no dia 2 de maio, a pauta de reivindicações específicas que será entregue ao banco.

A Assembleia Geral Extraordinária foi realizada na sede do BDMG, em Belo Horizonte, com a presença dos diretores do Sindicato Carlos Augusto Vasconcelos, Cléber Wolbert e Ramon Peres, assim como do Conselho de Representantes dos Funcionários (Corep).

Entre os pontos abordados na pauta, estão reivindicações ligadas ao emprego, à saúde dos trabalhadores, condições de trabalho e plano de saúde.

Veja, abaixo, na íntegra:

  1. Agendamento de reunião específica para que o Banco apresente, para todos os trabalhadores, as diretrizes e políticas institucionais da nova gestão;
  2. Alteração da regra de escolha do representante dos funcionários no CAD eliminando a existência de lista tríplice. A escolha do candidato deve ser por voto direto.

EMPREGO

  1. Plano de Cargos e Salários: Banco discutir com os trabalhadores sobre o atual modelo, visando a transparência, reconhecimento da produtividade e meritocracia;
  2. Reajustar a Tabela Salarial dos Técnicos de Desenvolvimento;
  3. PPR – Reativação do Programa de Participação nos Resultados, aprimorando os critérios de distribuição;
  4. Criação do Canal de Comunicação (Ombudsman) – formado com comissão paritária (Banco e Corep);
  5. Banco deve divulgar todos canais existentes de comunicação;

SAÚDE E CONDIÇÕES DE TRABALHO

  1. Implantar condições de acessibilidade do 11º andar;
  2. Banco deve apresentar para o COREP e Sindicato o relatório de risco ergonômico – NR-17;
  3. Aplicar um questionário, elaborado pelos trabalhadores, como objetivo de auferir os Fatores de Pressão no trabalho dos bancários.

PLANO DE SAÚDE

  1. Retornar imediatamente com o instituto do pós-emprego, conforme art. 49 do Regulamento do Pro-Saúde;
  2. Implantar a política de pós-emprego do Pro-Saúde para os funcionários.

 

Compartilhe: