Os 82 delegados do HSBC, sendo 63 homens e 19 mulheres, se dividiram em três grupos para continuar os trabalhos do Encontro Nacional dos Bancos Privados, na tarde desta terça-feira, 7, em São Paulo. Emprego, remuneração, saúde e segurança foram os temas centrais.

A questão da manutenção do emprego foi colocada como um ponto central nas discussões, principalmente diante da venda das operações do banco para o Bradesco. Além da garantia do emprego, os trabalhadores também discutiram acordo de estabilidade, mobilização e o acompanhamento do processo de fusão.

O encontro dos trabalhadores do HSBC contou com a participação do assessor jurídico da Contraf-CUT, Jeferson Martins de Oliveira, que tirou dúvida dos participantes sobre possíveis mudanças após a finalização da compra pelo Bradesco.

Já no grupo sobre Remuneração, foram debatidos temas como PLR, Plano de Cargos e Salários (PCS) e bolsa educacional/capacitação.

Por sua vez, as discussões sobre Saúde do Trabalhador, Segurança Bancária, Condições de Trabalho e Igualdade de Oportunidades deram destaque para aditivos da CCT, fim do assédio moral, previdência e plano de saúde.

Nesta quarta-feira, 8, os bancários definirão a minuta de reivindicações específicas que será apresentada para o banco.

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Rede Nacional de Comunicação dos Bancários

Compartilhe: