Representantes dos funcionários do Itaú entregam ao banco, no dia 28 de julho, as reivindicações específicas dos funcionários. A pauta foi construída durante Encontro Nacional dos Funcionários, realizado entre os dias 7 e 8 de junho, em São Paulo, com a participação de bancários de todo o país. A minuta conta com reivindicações relacionadas a emprego, saúde, remuneração, condições de trabalho, previdência privada, segurança e igualdade de oportunidades.

O fim das demissões e mais contratações no Itaú estão entre as demandas mais urgentes. Desde 2011, o Itaú já fechou 21 mil postos de trabalho, de acordo com levantamento do Dieese, gerando grande preocupação entre os trabalhadores.

Fundação Itaú Unibanco

Outro ponto da reunião com o banco será previdência privada. A Fundação Itaú Unibanco abriga os diversos planos de previdência complementar do banco, mas cerca de 40 mil funcionários não têm nenhum tipo de fundo de pensão.

Os trabalhadores cobram a criação de um fundo previdenciário para todos. Já foram realizadas diversas reuniões sobre o assunto com o Itaú e os trabalhadores cobraram mais informações sobre Instituto João Moreira Sales (IJMS) e o Instituto Assistencial Pedro Di Perna (IAPP), oriundos do Unibanco.

Reunião preparatória

No dia 27, às 9h30, os representantes dos bancários se reúnem na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, para preparar o encontro com banco e discutir mais temas, como saúde e condições de trabalho, a criação dos grupos de trabalho de emprego e remuneração, entre outros pontos.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: