Dando continuidade às atividades da Semana Nacional de Luta no Itaú, bancárias e bancários paralisaram as atividades de três agências na cidade de Contagem, na base do Sindicato, nesta quarta-feira, 29. Os trabalhadores protestam contra o fechamento de agências e as demissões.

“Estamos mobilizados para cobrar responsabilidade social do Itaú. O banco tem demitido muitos trabalhadores, mães e pais de família, sem se importar com a difícil conjuntura de desemprego que vivemos no Brasil. As demissões de bancários geram também um efeito dominó, que afeta o emprego de trabalhadores da segurança privada e da limpeza. Diante dos altos lucros, que chegaram a quase R$ 7 bilhões no primeiro trimestre, não há justificativa para que o Itaú não cumpra seu papel social de empregador”, afirmou a funcionária do Itaú e diretora da Fetrafi-MG/CUT, Marilene Gualberto.

A mobilização, em todo país, já garantiu a realização de uma mesa de negociação com o Itaú, no dia 18 de junho, para tratar dos problemas denunciados.

“O Itaú já informou que o centro de realocação será reaberto em breve e que não há previsão de mais fechamentos de agências. Na negociação do dia 18, cobraremos responsabilidade do banco, que deve também apresentar os números atualizados de realocações em todo o Brasil. Parabéns às bancarias e aos bancários de BH e região por mais essa demonstração de força, organização e união. O Sindicato segue ao lado da categoria, defendendo o emprego, direitos e conquistas dos trabalhadores”, explicou Ramon Peres, que é diretor do Sindicato e coordenador estadual da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú.

Já Paulo Faria, funcionário do Itaú e diretor do Sindicato, lembrou que a mobilização continua até sexta-feira, 31 de maio. “Funcionárias e funcionários continuam mobilizados, nesta Semana Nacional de Luta, para pressionar o Itaú e mostrar que não aceitaremos desrespeito do banco com os trabalhadores brasileiros”, afirmou.

Veja mais fotos:

 

Compartilhe: