Garantia de que todos os direitos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) serão respeitados até que um novo acordo seja assinado. É isso que o Comando Nacional dos Bancários cobra da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) nesta quinta-feira, 12. A presidenta do Sindicato, Eliana Brasil, integra o Comando e participa da mesa de negociação.

Os trabalhadores querem sair da segunda rodada de negociação da Campanha Nacional 2018 com o pré-acordo de ultratividade assinado. O Comando Nacional dos Bancários também quer uma resposta para o calendário de negociações sugerido aos negociadores da Fenaban na primeira reunião, realizada em 28 de junho.

Outras reivindicações

Reunidos na Conferência Nacional, bancárias e bancários de todo o Brasil definiram como prioridade para a Campanha 2018, além do pré-acordo, aumento real para salários e demais verbas, PLR maior e garantia dos empregos. A categoria está mobilizada, ainda, em defesa dos bancos públicos e da democracia, com foco na eleição de candidatos, em outubro, comprometidos com os direitos da classe trabalhadora.

A pauta foi entregue aos bancos em 13 de junho e reivindica, ainda, cláusulas que defendam os bancários de outras ameaças da nova lei trabalhista, como a retirada da CCT dos bancários hipersuficientes (quem ganha a partir de duas vezes o teto de benefícios do INSS, hoje em R$ 11.291, e tenha ensino superior), os contratos temporários, intermitentes e a terceirização.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: