Foto: Alessandro Carvalho

 

Em Assembleia Geral Extraordinária realizada nesta quarta-feira, 8, na sede do Sindicato, bancárias e bancários de BH e região rejeitaram, por unanimidade, as propostas apresentadas pela Fenaban, pela CAIXA e pelo Banco do Brasil para as reivindicações da Campanha Nacional 2018.

Os trabalhadores também aprovaram a participação da categoria na mobilização desta sexta-feira, 10 de agosto, Dia do Basta. Bancárias e bancários de BH e região retardarão a abertura de algumas agências da região central da capital mineira por uma hora.

A partir de 10h, será realizado um ato em frente à Agência Século da CAIXA, na rua dos Carijós, 218. Em seguida, os trabalhadores seguirão para a Praça Afonso Arinos, onde terá início, às 11h, a concentração de diversas categorias e movimentos sociais para exigir um basta à crise, ao desemprego, à miséria, à retirada de direitos e às ameaças de desmonte e privatização.

“Contamos com a participação de bancárias e bancários nesta grande mobilização, que servirá para mostrar aos bancos que estamos em luta por nossos direitos. Exigimos uma proposta decente da Fenaban, que respeite nossas reivindicações na Campanha Nacional 2018. Além disso, defendemos nossos bancos públicos e um Brasil soberano, com um projeto de desenvolvimento que valorize os trabalhadores”, afirmou a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil.

Durante a Assembleia, também foi aprovado um estado de greve dos bancários de BH e região. Isto representa um aviso aos banqueiros de que a categoria, a qualquer momento, pode entrar em greve.

Propostas incompletas

Após seis rodadas de negociação, a Fenaban apresentou, nesta terça-feira, 7, poucas respostas às demandas da categoria, com propostas incompletas e que apenas repõem a inflação nos salários e outras verbas econômicas. Além disso, não deram garantias em relação às novas formas de contratação previstas na reforma trabalhista.

Da mesma forma, as propostas específicas apresentadas pela CAIXA e pelo BB foram consideradas insuficientes e inaceitáveis pela categoria.

O Comando Nacional dos Bancários indicou a rejeição nas assembleias de todo o Brasil, deixando claro que os trabalhadores exigem aumento real, garantia dos empregos e a manutenção das conquistas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e dos acordos aditivos.

Saiba mais sobre a proposta apresentada pela Fenaban.

Saiba mais sobre a proposta apresentada pela CAIXA.

Saiba mais sobre a proposta apresentada pelo BB.

 

Compartilhe: