Representantes da categoria bancária retomaram com a Fenaban, nesta segunda-feira, 24, em São Paulo, a mesa temática de Segurança Bancária. Nesta primeira reunião após o final da Campanha Nacional 2014, os bancários cobraram mais segurança para proteger a vida de trabalhadores e clientes. Um calendário de debates trimestrais foi definido para 2015, com temas já pautados pelos bancários, e as datas serão fechadas nas próximas semanas.

Projeto-piloto

Na Campanha 2014 não houve avanços em relação à segurança na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Para melhorar a prevenção de assaltos e sequestros, assim como as saidinhas de banco, a categoria tinha a expectativa de que as medidas testadas e aprovadas no projeto-piloto realizado em Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes seriam incluídas na Convenção e estendidas para todo o Brasil.

Nas negociações, a Fenaban se limitou a propor a realização de um novo projeto-piloto, nos mesmos moldes, em duas cidades, uma a ser escolhida pelos bancos e outra pelo movimento sindical. O Comando Nacional propôs que novas medidas fossem contempladas para que também fossem testadas, mas a proposta não foi aceita pelos bancos.

O assunto foi retomado na reunião desta segunda-feira e foram cobrados da Fenaban novos itens de segurança em eventuais novos projetos-piloto. Os representantes dos bancários argumentaram que não há justificativa para repetir o projeto sem que sejam testados novos equipamentos que ficaram de fora da primeira experiência.

Depois dos debates, a Fenaban disse que iria consultar os bancos e trazer uma resposta na próxima mesa temática. Já os representantes dos bancários ficaram de levar o tema para apreciação no Comando Nacional.

Avanço na estatística semestral da Fenaban

Após cobrança feita anteriormente pela categoria para a necessidade de abrir os números de assaltos em nível nacional, a Fenaban anunciou que os bancos analisaram a demanda e definiram que os próximos dados da estatística semestral serão informados também por região do país. Com este avanço, será possível identificar os locais onde a violência é maior.

Os representantes dos trabalhadores reivindicaram também novos avanços, como a exibição dos números por estado e por agência e PAB, mas a Fenaban não aceitou.

Conforme determina a cláusula 32ª da CCT, a estatística do segundo semestre de 2014 será informada pela Fenaban até a primeira quinzena de fevereiro de 2015, durante a próxima reunião da mesa temática.

Segurança nas agências de negócios

Foi pautado o problema da falta de segurança nas agências de negócios para discussão na próxima mesa temática, em fevereiro de 2015. A intenção é aprofundar o debate e mostrar aos bancos os riscos a que estão expostos os trabalhadores deste modelo de agência.

Apesar de não contarem com vigilantes, portas de segurança e outros equipamentos de segurança, as agências de negócios possuem caixa eletrônico com operações de abastecimento, saques e depósitos, evidenciando que existe movimentação de numerário. Isto contraria a lei federal nº 7.102/83, que obriga estes locais a contar com a presença de vigilantes.

Prevenção contra sequestros de bancários

Para a segunda reunião da mesa temática em 2015, a ser realizada em maio, já foi pautado o problema do sequestro que atinge bancários e seus familiares. A categoria cobra medidas que eliminem o risco a que estão submetidos diversos gerentes e tesoureiros que levam as chaves do banco para casa.

Os representantes dos funcionários pretendem debater experiências que já vêm sendo implementadas por alguns bancos, como a contratação de empresas de segurança para fazer a abertura e fechamento dos estabelecimentos e a utilização de controle remoto, acabando com a guarda das chaves pelos bancários.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: