Bancárias e bancários se unem a outras categorias de trabalhadores e movimentos sociais para realizar, nesta sexta-feira, 31, um Dia Nacional de Mobilização contra as “reformas” pretendidas pelo governo Temer e de preparação para uma grande Greve Geral em 28 de abril. Em todo o país, a população vai às ruas para dizer não à retirada de direitos, à terceirização, à reforma da Previdência e à reforma trabalhista.

Na noite desta quinta-feira, 30, bancárias e bancários da base de Belo Horizonte e região realizaram uma plenária organizativa, na sede do Sindicato, para debater sobre o atual cenário político e definir estratégias de mobilização para esta sexta-feira, assim como para a construção da Greve Geral.

Bancários realizaram Plenária Organizativa nesta quinta na sede do Sindicato – Foto: Alessandro Carvalho

Neste Dia Nacional de Mobilização, os trabalhadores estarão presentes, desde as 8h da manhã, na Praça Carlos Chagas, em frente à Assembleia Legislativa de Minas Gerais, para a realização do Congresso Extraordinário da CUT/MG, que debaterá conjuntura e planos de mobilização. No mesmo local, os trabalhadores realizarão concentração, a partir das 17h, para uma grande marcha em direção ao centro da capital mineira.

Aprovado no dia 22 de março, o Projeto de Lei (PL) 4302/1998, que trata das terceirizações, aguarda apenas a sanção de Michel Temer. Além de liberar a terceirização de todas as atividades nas empresas, precarizando as relações de trabalho, a proposta aumento os prazos dos contratos temporários de 90 para 180 dias, prorrogáveis por mais 90 dias.

Na semana que vem, os deputados da base do governo Temer se preparam para votar o desmonte da Previdência e o fim das aposentadorias. Além disso, o PL 6787/2016, que trata da reforma trabalhista e ameaça os direitos dos trabalhadores, também tramita na Câmara dos Deputados.

O Dia Nacional de Mobilização deste 31 de março está sendo organizado pela CUT em conjunto com outras centrais sindicais e com as entidades que formam as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

“Nesta quinta-feira, realizamos uma plenária organizativa democrática em nosso Sindicato e estaremos nas ruas neste Dia Nacional de Mobilização contra os desmontes que o governo Temer quer impor aos brasileiros. A terceirização, já aprovada na Câmara, retira direitos e enfraquece a organização dos trabalhadores. As reformas da Previdência e trabalhista, que tramitam no Congresso, ameaçam as aposentadorias e importantes conquistas da classe trabalhadora. Contamos com a participação de todos para que possamos fortalecer nossa mobilização rumo à greve geral de 28 de abril”, afirmou a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil.

Nenhum direito a menos.
Não à reforma da Previdência e reforma trabalhista.
Abaixo a terceirização.
Todos juntos na Greve Geral em 28 de abril.

 

Ato contra a terceirização e as reformas de Temer

Data: 31 de março de 2017 – Dia Nacional de Mobilização
Local: Praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG)
Horário: concentração a partir das 17h.

 

Participe!

Compartilhe: