Foto: Guina Ferraz

O Banco do Brasil apresentou as mudanças na Gestão de Desempenho Profissional (GDP), o sistema de avaliação de funcionário do BB, em reunião realizada nesta terça-feira, 11, em Brasília, com a Comissão de Empresa dos Funcionários do BB. A funcionária do BB e diretora do Sindicato, Luciana Bagno, representou a Fetrafi/MG-CUT na reunião.

Os novos parâmetros de avaliação individual serão aplicados a partir deste semestre. No geral, as metas já presentes na GDP, tiveram seu peso acrescido em 5% para cada parâmetro (competências/metas) e o placar final terá um impacto maior atribuído ao resultado da dependência e carteira. Neste último caso, vinculado ao programa Conexão, antigo Sinergia.

Os representantes dos funcionários apontaram que, embora não seja o objetivo da avaliação focar somente no resultado e na meta individual, há uma preocupação com as condições de trabalho pioradas devido ao processo de reestruturação.

Muitos locais de trabalho estão com lotação de funcionários reduzida e será necessário um acompanhamento mais de perto da GDP para se evitar abusos e discriminação no processo de avaliação. Os bancários argumentaram que é necessária a qualificação dos gestores para o correto uso dessa ferramenta e do papel deles no desenvolvimento dos funcionários.

Os membros da Comissão de Empresa dos Funcionários apresentaram suas ponderações quanto ao peso do resultado ser maior, dada a falta de condições de se cumprir o acordo de trabalho, principalmente nas unidades de negócio que absorveram serviços e clientes de outras agências que foram fechadas.

Para Wagner Nascimento, que é diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, a GDP é um importante instrumento de avaliação dos funcionários e o seu formato já é conhecido pelo corpo funcional do BB. “Para nós, a comunicação das mudanças no formato não pode ser confundida com incentivo a uma forma maior de pressão sobre os funcionários, principalmente se os avaliadores não foram bem instruídos sobre o uso da ferramenta GDP. Iremos acompanhar de perto como está sendo aplicada a nova GDP e sua percepção pelos funcionários”, afirmou.

Uma nova reunião sobre GDP será marcada junto com a apresentação do Conexão (Sinergia).

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: