Chegaram ao Sindicato denúncias de assédio praticado em escritório digital do Banco do Brasil em Belo Horizonte, com ameaça de retirar do teletrabalho de quem não cumprir metas abusivas. A cobrança e as ameaças absurdas ocorrem justamente em um momento crítico da crise sanitária no Brasil. Todos os setores da sociedade, incluindo os bancos, que mesmo com a pandemia tiveram lucros exorbitantes, devem colaborar para diminuir a circulação das pessoas mantendo em casa quem pode ficar.

Os escritórios digitais do BB não realizam atendimento presencial ao público, podendo ter todas as atividades feitas em teletrabalho sem prejuízo ao andamento dos negócios. A adoção desse regime de trabalho seria um ato de responsabilidade social e uma importante colaboração ao país para diminuir a circulação e transmissão do vírus.

O Sindicato tem cobrado das Superintendências Regionais a liberação do trabalho presencial nos escritórios digitais e que tais gestores cessem com o assédio que veem praticando contra seus subordinados.

Desde a decretação da pandemia, as entidades sindicais têm buscado formas de proteger a categoria e já foram obtidas muitas conquistas. Infelizmente, não é possível estender o teletrabalho para as agências que atendem ao público, por ser enquadrado como serviço essencial. Sendo assim, o movimento sindical luta para amenizar os riscos para os trabalhadores.

Qualquer assédio ou ameaça deve ser imediatamente denunciada para o Sindicato por meio do serviço de Fale Conosco, pelo instrumento próprio de denúncias de Assédio Moral, ou em contato direto com algum diretor da entidade. O anonimato do denunciante é garantido.

 

Compartilhe: