Em reunião no dia 10 de julho, o Banco do Brasil afirmou em mesa que não vai negociar a Jornada de 6 horas, por se tratar de ato de gestão o plano de comissões da empresa.

O banco muda de opinião depois de enganar os funcionários por mais de oito meses, quando afirmou ao final da campanha salarial de 2011 que aceitaria discutir o tema da jornada em mesa temática.

Antes do final da campanha, através de vídeo na TVBB, canal interno, o banco afirmou que até dezembro apresentaria uma proposta para solução do problema da jornada de 6 horas dos cargos comissionados.

Quando instalada a Mesa Temática, houve a participação de quatro diretorias, mas só houve uma rodada.

Questionado pelos bancários sobre a continuidade da mesa, o Banco do Brasil informou que a mesa temática de jornada não deveria continuar, pois as partes já tinham esgotado os entendimentos e que o processo a partir de agora seria negocial. Desde janeiro, que os representantes bancários aguardavam uma proposta para discussão com os funcionários de todo o país.

Para Wagner Nascimento, diretor do Sindicato e representante de Minas Gerais nas negociações, a nova equipe de negociação do BB mostrou a que veio, mudando drasticamente de opinião quanto a negociação de um tema tão importante e frustrando os funcionários. “A campanha deste ano vai ser muito difícil e os bancários precisam dar ao banco o  recado que a empresa entende: mobilizações, paralisações e greve”, completa.

 

Compartilhe: