O Banco do Brasil divulgou nesta terça-feira, 29, um Boletim Pessoal sobre a Campanha Nacional dos Bancários. No texto, o banco fala sobre o processo negocial, cita os poucos avanços até agora na mesa de negociação específica e reafirma a proposta apresentada na mesa da Fenaban.

No boletim, o BB também discorre sobre a importância do banco para a sociedade e a destinação do lucro e, ainda, se apresenta aberto ao diálogo e negociação.

O que o banco não diz, porém, é que o lucro foi conseguido às custas dos trabalhadores, com metas abusivas que causam adoecimento, com muita pressão, assédio e ameaças, muitas vezes institucionalizadas.

O banco também se esquece de mencionar que o Comando Nacional entregou a minuta específica dos funcionários do BB no dia 11 de agosto e também que, desde a negociação do dia 18 de setembro, a Comissão de Empresa dos Funcionários vem solicitando uma mesa para apresentação de propostas específicas. No dia 24 de setembro, foi enviado ofício ao BB cobrando negociação.

Para o diretor do Sindicato e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, Wagner Nascimento, o banco fala de lucro e destinação, mas se esquece dos funcionários. “O BB fala em diálogo, mas se recusa a fazer uma mesa de negociação para apresentação de proposta. Podemos afirmar, com toda certeza, que a representação dos trabalhadores está aberta ao diálogo e, por isso, continuamos aguardando o retorno do BB à nossa solicitação. Vamos às assembleias dar uma resposta clara à nossa indignação pela proposta apresentada. E a resposta neste momento só tem uma palavra: greve”, destacou.

Compartilhe: