O Inter divulgou seu relatório gerencial de demonstração contábil, um resultado positivo do conglomerado no valor de R$ 5.5 milhões. Entretanto, no release e nas notas explicativas, foi divulgado que a controladora do grupo, no caso o Banco Inter, apresentou prejuízo de R$ 7,7 milhões.

O resultado negativo frustrou milhares de trabalhadores, que se esforçaram no cumprimento das pesadas metas impostas e, mesmo assim, ficaram sem receber a PLR relativa a 2020. Pela regra da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), a instituição financeira que apresenta prejuízo fica desobrigada de pagar o benefício.

O Sindicato solicitou ao banco pagamento de valores aos funcionários como forma de reconhecimento e valorização. O Inter solicitou um prazo para responder ao pedido.

“Esperamos que o Banco Inter tenha sensibilidade, reconheça os esforços dos funcionários e pague uma gratificação financeira ou similar.”, argumentou Ramon Peres, presidente do Sindicato.

Para Paulo Barros, diretor do Sindicato e representante dos trabalhadores nas negociações com o Inter, “se houve resultado positivo no conglomerado, foi graças aos funcionários do Banco Inter. Dessa forma, nada mais justo que os trabalhadores sejam contemplados”

“Vamos aguardar a resposta do Banco Inter e não vamos medir esforços para que o banco entenda a importância dos trabalhadores”, concluiu Marco Aurélio Alves, diretor do Sindicato e representante dos funcionários nas negociações com o banco.

 

Compartilhe: