Entre janeiro e setembro de 2017, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED, os bancos fecharam 16.879 postos de emprego bancário em todo o país. Em setembro, foi registrado o fechamento de mais 2.419 postos. O expressivo saldo negativo foi resultado de 2.227 admissões e 4.646 desligamentos no mês, muitos desses relacionados ao programa de desligamento voluntário (PDV’s) do Banco Bradesco, divulgado logo após a aprovação da Reforma Trabalhista pelo Senado Federal.

CAIXA

Só a CAIXA foi responsável pelo fechamento de 6.789 postos, sendo 3.039 em março e 2.302 em agosto, os dois piores saldos apresentados. Meses que se seguiram à divulgação dos PDV’s abertos pela instituição em 2017. Dentre todos os estados, São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro foram os que tiveram maior número de postos de trabalho fechados.

“Estamos atentos e mobilizados para exigir que os bancos reponham imediatamente as vagas abertas através dos planos de PDV’s e outros tipos de demissões que representam sobrecarga de trabalho e adoecimento dos bancários que permanecem no emprego. Reafirmamos que além de precarizar ainda mais o trabalho nas agências, as demissões prejudicam o atendimento aos clientes, em especial nos bancos públicos, que são de importância fundamental para o atendimento da população o desenvolvimento do país”, ressaltou Eliana Brasil, presidenta do Sindicato.

Compartilhe: