Os bancos se negaram a assinar a ultratividade dos direitos da categoria, mas aceitaram o calendário proposto pelo Comando Nacional dos Bancários, com o compromisso de apresentar uma proposta final para os trabalhadores até 1º de agosto. A segunda rodada de negociação entre os representantes dos bancários e da Fenaban foi realizada em São Paulo, nesta quinta-feira, 12.

“Apesar da resistência da Fenaban em relação ao pré-acordo, demos um importante passo ao garantirmos um calendário de negociações, até o dia 1º de agosto, e também o respeito dos bancos à mesa única nacional e unificada, com representantes de bancos públicos e privados. A categoria deve permanecer mobilizada e atenta ao calendário para que possamos exigir que os bancos atendam nossas reivindicações e que sejam mantidos todos os direitos conquistados”, afirmou a presidenta do Sindicato, Eliana Brasil.

O Comando Nacional dos Bancários reforçou que, diante dos lucros bilionários que os bancos seguem obtendo, mesmo na crise, eles têm plenas condições de fechar o acordo sem colocar em risco os diretos da categoria.

Calendário de negociações fechado

O calendário proposto pelos representantes dos trabalhadores foi aceito pelos negociadores dos bancos. Confira as datas e temas das mesas:

19 de julho – Saúde e condições de trabalho

25 de julho – Emprego

1º de agosto – Cláusulas econômicas e apresentação de uma proposta global dos bancos

Bancos públicos

Nesta sexta-feira, 13 de julho, serão realizadas as mesas específicas de negociação com a CAIXA e com o Banco do Brasil.

Serão discutidas as pautas de reivindicações aprovadas pelos trabalhadores em congressos nacionais realizados em junho, com foco também na manutenção das conquistas dos acordos aditivos.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

 

Compartilhe: