Após cobranças do Sindicato, o BDMG finalmente apresentou respostas à pauta de reivindicações entregue no final de 2014. Em reunião realizada nesta quinta-feira, 9, o Sindicato, representado pelos diretores Carlos Augusto Vasconcelos e Cleber Wolbert, debateu com o banco as diversas demandas dos funcionários. O BDMG foi representado na mesa pela gerente geral de Gestão de Pessoas, Maria Isabel de Camargos, e pelo gerente de Relações Trabalhistas, José Xisto de Campos.

Todos os pontos da pauta foram abordados: o acesso dos representantes do Sindicato às dependências do banco, o Plano de Cargos e Salários (PCS), o Programa de Participação nos Resultados (PPR) 2015, estabilidade de diretores da Associação dos Funcionários do BDMG (AFBDMG), parcelamento dos períodos de férias, pagamento de horas extras em cursos e viagens, Lei de Acessibilidade, entre outros.

Na mesa, o banco informou que os diretores do Sindicato poderão ter acesso ao prédio do BDMG, desde que respeitadas as normas de segurança. Esta é uma importante conquista, já que o acesso estava vetado há mais de 5 anos. O contato direto com os funcionários no ambiente de trabalho é essencial para estreitar relações e esclarecer dúvidas, além de facilitar o acompanhamento dos problemas enfrentados no prédio, garantindo respostas mais rápidas do Sindicato.

Sobre a reivindicação de revisão do PCS, o BDMG informou que o processo já foi iniciado com previsão de conclusão para abril do ano que vem. A carreira dos técnicos, assim como todas as outras carreiras, também será analisada, bem como a verificação da necessidade de homologação junto ao Ministério do Trabalho.

O Programa de Participação nos Resultados será mantido, porém a posição da diretoria é de não realizar alterações este ano. O Sindicato defendeu que manter as mesmas metas e formas de distribuição, considerando-se o atual cenário da economia, não é uma boa medida e solicitou a imediata abertura de negociações em relação a este ponto.

Sobre a estabilidade no emprego aos diretores da AFBDMG, os representantes alegaram que as demissões no banco são precedidas de processos administrativos disciplinares e ocorrem somente em casos de faltas graves e reincidentes. No documento entregue ao Sindicato, o BDMG reforçou que a participação dos funcionários na diretoria da Associação não é motivo de penalização e é vista de forma positiva, além de hoje pontuar de forma positiva nos processos de avaliação.

Já em relação à flexibilização na divisão do período de férias, o banco afirmou que o tema está sendo analisado, apesar de a CLT prever a concessão em um só período. Uma proposta de flexibilização será levada pela Gerência de Gestão de Pessoas à Diretoria do BDMG, respeitando-se o mínimo de 10 dias e o máximo de dois períodos.

Sobre pagamento de horas extras em viagens, o banco afirmou que os empregados em regime de trabalho de seis horas, que estão sujeitos ao controle de jornada, geram horas extras em viagens, que podem ser compensadas por meio do banco de horas ou pagas conforme acerto com o gestor anteriormente à viagem. Já sobre as horas relativas a treinamento, o banco afirmou que a Política de Treinamento do BDMG estabelece treinamentos obrigatórios, que estão sujeitos à geração de horas extras, e os facultativos, solicitados pelos funcionários, que não geram horas extras.

O BDMG também afirmou que, atualmente, o prédio atende às exigências da Lei de Acessibilidade mas que melhorias serão providenciadas, como a adequação de banheiros em alguns andares. Em relação ao 11º andar, as restrições arquitetônicas impedem sua adequação. Sendo assim, as atividades que preveem participação dos funcionários com dificuldade de locomoção são direcionadas a outros locais com acessibilidade.

Em relação ao Acordo Coletivo de Prevenção de Conflitos no Ambiente de Trabalho, que está previsto na Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015 da categoria bancária e visa combater o assédio moral, o banco informou que está providenciando a adequação para assinatura com o Sindicato.

Será convocada, pelo Sindicato, nos próximos dias, uma Assembleia com funcionárias e funcionários do BDMG para discutir os temas e elaborar estratégias para a Campanha Salarial de 2015.

Compartilhe: