Bancárias e bancários demitidos do Bradesco devem ficar atentos para não perderem o direito à extensão do plano de saúde, por seis meses a mais do que manda a CCT, chamada pelo banco de “Benefício Adicional no Desligamento”. O banco não está concedendo a extensão para trabalhadores que não compareceram na data agendada para o exame demissional ou para aqueles que não assinarem a carta de demissão. Ou seja, para se assegurar que fará jus à extensão o bancário deve cumprir à risca todo o rito demissional.

De acordo com comunicado enviado pelo Bradesco, fica excluído do “Benefício Adicional de Desligamento” o bancário que “deixar de cumprir os processos e protocolos de desligamento informados em comunicado do Banco Bradesco e empresas ligadas”; que “deixar de proceder a devolução do equipamentos do Banco Bradesco ou das empresas ligadas (ex: notebook, desktop, celular, tablet), no local e data definidos em comunicado do Banco Bradesco e empresas ligadas”; ou que “violar norma interna do Bradesco, mesmo que após o comunicado de desligamento, constatada a qualquer tempo, a exemplo de incidentes de segurança da informação, sem exclusão de qualquer outra”.

Tendo em vista o momento difícil vivido pelos bancários demitidos, o movimento sindical entrou em contato com o banco e reivindicou que tivesse sensibilidade, remarcando o exame demissional de quem perdeu e revendo a exclusão destes trabalhadores da extensão, mas o Bradesco foi irredutível. Portanto, a orientação é que os bancários cumpram à risca o rito demissional, evitando que sejam ainda mais prejudicados pela postura intransigente do banco.

O Sindicato destaca que está em luta contra as demissões irresponsáveis promovidas pelo Bradesco nas últimas semanas. Já foram realizados atos, paralisações, panfletagem e tuitaços para denunciar o desrespeito do banco.

Homologação

Bancárias e bancários, tendo cumprido ou não os processos e protocolos de desligamento informados no comunicado do banco, devem fazer a homologação da demissão no Sindicato. Desta forma, a entidade pode verificar a regularidade do processo demissional e conferir os direitos devidos ao trabalhador.

Além disso, o Departamento Jurídico do Sindicato disponibiliza seu quadro de advogados para associadas e associados que desejarem entrar com ação individual na Justiça contra a demissão. Saiba mais aqui.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Seeb-SP

 

Compartilhe: