O Bradesco fará mudanças, a partir de outubro de 2014, na previdência privada de seus funcionários, conhecida como 4×4. As alterações foram apresentadas aos representantes dos trabalhadores no dia 21 de julho, em São Paulo, em reunião da qual o Sindicato participou representado pelos diretores Leonardo Marques, Maristela Miranda, Wanderlei Pinto e Welington Marinho.

O Sindicato destaca que as mudanças estão sendo realizadas de forma unilateral, sem consulta aos trabalhadores e o banco tem deixado claro que não tem disposição em negociar esta questão. Para o Sindicato, o novo plano é prejudicial aos funcionários, sejam eles os do plano 4×4 ou os novos participantes, que farão parte do plano que agora será chamado de 5×4.

Um dos problemas observados é a taxa de juros do novo plano, que passa a ser flexível e não de 5% como anteriormente. Isto significa que ela será alterada a cada ano, de acordo com as taxas de juros definidas pelo Banco Central e o comportamento da inflação.

O Bradesco, basicamente, decidiu retirar sua responsabilidade e abandonar o antigo modelo da previdência privada. Com isso, no plano 5×4, serão os participantes os responsáveis por pagar a conta no caso da redução da taxa de juros, recebendo benefícios menores a cada vez que a taxa diminuir.

Além disso, o banco modificou o indexador de inflação, do IGPM para o IPCA, que também costuma ser inferior.

O Sindicato observa que a tabela progressiva que será adotada no novo plano também pode trazer prejuízos aos trabalhadores e, por isso, recomenda extrema cautela e cuidado nas decisões tomadas por bancários. Cada caso deve ser analisado individualmente para que sejam evitados prejuízos aos beneficiários.

Clique aqui para ler a análise completa feita pelo especialista em previdência complementar, Ricardo Sasseron, que é vice presidente da Associação Nacional dos Participantes dos Fundos de Pensão (Anapar).

Compartilhe: