COEsHSBCeBradesco_22jun

Foto: Jailton Garcia – Contraf-CUT

Em reunião com as COEs do Bradesco e do HSBC, que ocorreu na Cidade de Deus, na sede do Bradesco, na manhã desta quarta-feira, 22, a diretora de RH do Bradesco, Glaucimar Peticov reafirmou que não haverá demissão em massa devido à compra do HSBC. O Sindicato participou da reunião representado pelo funcionário do HSBC e diretor Geraldo Rodrigues.

Dentro deste compromisso do banco, os representantes dos trabalhadores cobraram garantia de empregos para todos os funcionários do HSBC e do Bradesco. O banco respondeu que não poderia assinar acordo de estabilidade, ressalvando que teria a intenção de aproveitar o quadro do HSBC e que a compra está sendo concretizada para o crescimento do Bradesco e não justificaria grandes processos de demissões.

Os bancários deixaram claro que seguirão acompanhando e monitorando todo o processo de transição, sua sequência e consequência para os trabalhadores.

Além da questão do emprego, os representantes dos trabalhadores cobraram do banco posição sobre temas como, previdência, bolsa educação, convênio médico, folha de pagamento, PLR e AB. Sobre a maioria dos temas, o banco garantiu que vai respeitar os acordos já firmados, com estudos a serem feitos no período de transição e com o tempo após levantar todos os dados para adequar e negociar todos os benefícios aos moldes do que já é praticado pelo Bradesco.

Para Geraldo Rodrigues, a defesa do emprego é a principal bandeira de luta no atual cenário de incorporação das operações do HSBC ao Bradesco. “Desde o momento em que foi anunciada a compra, estamos mobilizados para garantir a manutenção do emprego de bancárias e bancários dos dois bancos. Seguiremos acompanhando todo o processo e cobrando respeito aos direitos dos funcionários”, afirmou.

Período de transição

O período de transição começa no dia 1º de julho, quando deve haver o pagamento pelo Bradesco. Com isso, o HSBC Brasil será desvinculado do resto do grupo HSBC e ficará sob administração do Bradesco. Este processo deve ser finalizado no dia 7 de outubro, quando haverá a integração de todo o sistema.

Todos os benefícios dos funcionários do HSBC permanecem como estão até o dia 7 de outubro. Após este período, os benefícios ficarão a cargo do Bradesco. Se houver qualquer caso especial, como funcionários que estejam em tratamento de saúde, ele deverá ser tratado individualmente com banco e acompanhado pelo Sindicato.

A partir de outubro, a folha de pagamento passa a ser do Bradesco, onde as datas não coincidem com as do HSBC. Os representantes dos trabalhadores reivindicaram que os compromissos dos trabalhadores do HSBC acompanhem a mudança de datas, como os financiamentos, seguros e cartões.

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região com Contraf-CUT

Compartilhe: